Alimentos desaceleram e influenciam prévia da inflação de novembro

SÃO PAULO – A prévia da inflação oficial do País, medida pelo IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15), teve variação de 0,54% em novembro. Frente a outubro, o indicador recuou 0,11 ponto percentual, visto que, na medição daquele mês, a prévia da inflação ficou em 0,65%, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (22).

A desaceleração da inflação no período reflete o movimento dos preços dos itens relacionados ao grupo Alimentação e Bebidas, que apresentou inflação de 0,83%, ante 1,56% de outubro.

De acordo com o IBGE, a desaceleração nos preços do grupo refletiu a variação do arroz (de 11,91% para 6,63%), óleo de soja (de 3,01% para 2,21%), frango (de 4,13% para 1,43%), pão francês (de 2,43% para 1,11%) e carnes (de 2,92% para 0,54%). Contribuíram ainda para o resultado, a queda nos preços da cebola (-8,79%), batata inglesa (-4,45%) e feijão carioca (-2,36%).

Outros grupos
Além de Alimentação e Bebidas, na passagem de outubro para novembro, outros grupos contribuíram para a diminuição da inflação, são eles: Habitação (0,72% para 0,33%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,42% para 0,36%).

Na contramão, Artigos de Residência (0,26% para 0,58%), Vestuário (1,05% para 1,40%), Transportes (0,11% para 0,47%), Despesas Pessoais (0,15% para 0,30%), Educação (0,02% para 0,04%) e Comunicação (0,18% para 0,30%) apresentaram resultados maiores em suas taxas de variação.

Em 12 meses, a inflação medida pelo IPCA-15 acumula alta de 5,64%, acima dos 12 meses imediatamente anteriores (5,56%). Na comparação com novembro de 2011, o avanço apurado é de 0,08 ponto percentual, pois, na época, a inflação era de 0,46%. No acumulado do ano, a variação dos preços é de 5,05%

Regiões
Entre os índices regionais, Belém apresentou a taxa mais alta de novembro, com inflação de 1,25%. De acordo com o IBGE, na cidade, o resultado foi influenciado pelos alimentos, que subiram 2,79%. Goiânia registrou o menor resultado, 0,35%.

Rio de Janeiro e São Paulo, por sua vez, apresentaram variações de 0,37% e 0,43%, respectivamente.

Carregando...