Alimentos aumentam e IPCA tem maior resultado para janeiro desde 2003

A variação nos preços do grupo Alimentação e Bebidas contribuiu de forma importante para que a inflação, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), registrasse aumento mais intenso no mês de janeiro e atingisse o maior resultado mensal desde abril de 2005 e o maior resultado para um mês de janeiro desde 2003.

Leia também:
IGP-M sobe 0,41% na prévia de fevereiro, diz FGV
Inflação agropecuária desacelera em fevereiro


De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no primeiro mês de 2013, a inflação acelerou para 0,86%, frente ao 0,79% registrado em dezembro de 2012, sendo que o grupo Alimentação e Bebidas passou de 1,03% para 1,99% no período, uma diferença de 0,96 ponto percentual.

Considerando os itens, o resultado apurado no grupo reflete, principalmente, o aumento nos preços do tomate (26,15%), batata-inglesa (20,58%); Cebola (14,25%), hortaliças (10,86%) e cenoura (9,83%).

Em 12 meses, a inflação medida pelo IPCA acumula alta de 6,15%.

Outros grupos
Além de Alimentação e Bebidas, outros grupos contribuíram para o acréscimo da inflação entre dezembro e janeiro, são eles: Artigos de Residência (de 0,27% para 1,15%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,40% para 0,73%) e Educação (de 0,19% para 0,35%).

No caso de Saúde e Cuidados Pessoais, o acréscimo reflete o aumento de 1,48% nos serviços médicos e dentários, além das altas em serviços laboratoriais e hospitalares (1,33%) e artigos de higiene pessoal, com variação de 1,02%.

Sobre as outras classes de despesas analisadas pelo IBGE, na passagem de dezembro para janeiro, os seguintes apresentaram movimento contrário no período: Habitação (0,63% para -0,20%), Vestuário (1,11% para -0,53%), Despesas Pessoais (1,60% para 1,55%) e Comunicação (0,03% para -0,08%).

Vale destacar que, embora com desaceleração mensal, é do grupo Despesas Pessoais a maior contribuição individual para o IPCA no mês, o item cigarros, que teve aumento do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), que subiu 10,11%.

Regiões
Entre os índices regionais, Belém apresentou a taxa mais alta de janeiro, ficando com inflação de 1,06%. De acordo com o IPCA, na cidade, o resultado teve influência, sobretudo, do aumento dos alimentos (2,93%).

Brasília, por outro lado, teve o menor resultado do mês, de 0,46%, enquanto Rio de Janeiro e São Paulo registraram inflação de 0,73% e 0,99%, respectivamente.

Carregando...