Mercado fechado

Alibaba alerta para amplo impacto de vírus na economia chinesa

Lulu Yilun Chen, Kari Soo Lindberg e Zheping Huang

(Bloomberg) -- O Alibaba Group alertou que o surto de coronavírus, que já matou mais de 1,3 mil pessoas na China, está causando um forte impacto sobre consumidores e comerciantes do país e afetará o crescimento da receita no atual trimestre.

O Alibaba, a primeira grande empresa chinesa de tecnologia a divulgar balanço desde o surgimento da epidemia em janeiro, disse que o vírus afeta a produção na economia porque muitas pessoas não podem ir ao trabalho ou desempenhar suas funções. O surto também mudou os padrões de compra: os consumidores diminuíram os gastos discricionários, como viagens e restaurantes.

A gigante chinesa de comércio eletrônico fez os comentários depois de divulgar fortes resultados financeiros no trimestre encerrado em dezembro. A receita subiu 38%, acima do esperado, para 161,5 bilhões de yuans (US$ 23,1 bilhões), enquanto o lucro líquido aumentou 58%, para 52,3 bilhões de yuans.

Mas o CEO Daniel Zhang e a diretora financeira Maggie Wu foram claros sobre as consequências do vírus para funcionários, fornecedores e comerciantes. Muitos lojistas que trabalham com a empresa não conseguiram normalizar as operações devido à falta de funcionários.

“A epidemia impactou negativamente a economia geral da China, especialmente os setores de varejo e serviços”, disse Wu em teleconferência após os resultados. “Embora a demanda por bens e serviços exista, os meios de produção na economia foram prejudicados pela abertura tardia de escritórios, fábricas e escolas após o feriado do Ano Novo Lunar.”

Questionada sobre os efeitos para o Alibaba, a diretora financeira foi cautelosa em fazer estimativas, porque o trimestre de março está apenas na metade.

“A receita geral será impactada negativamente”, disse Maggie, acrescentando que o impacto no crescimento pode ser “significativamente” negativo.

Zhang disse que a empresa observa mudanças relativamente significativas nos padrões de compra. Enquanto a entrega de alimentos está crescendo, áreas como roupas e eletrônicos enfrentam problemas logísticos. Ele alertou que a divisão de comércio eletrônico sofreu um impacto negativo nas duas primeiras semanas após o feriado. Pedidos de restaurantes e reservas de viagens também foram atingidos.

O Alibaba está lançando programas especiais para apoiar comerciantes, como a redução das taxas cobradas e o fornecimento de subsídios à equipe de entrega. Zhang disse que a empresa tenta manter a própria equipe segura, e muitos funcionários estão trabalhando de casa.

“Fizemos todos os esforços para proteger a segurança de nossos funcionários”, afirmou.

Zhang acrescentou que mais funcionários estão retornando ao trabalho em Pequim, Guangzhou e Shenzhen. Muitas empresas de logística também estão recuperando capacidade nos últimos 12 dias.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Lulu Yilun Chen Hong Kong, ychen447@bloomberg.net;Kari Soo Lindberg Hong Kong, klindberg13@bloomberg.net;Zheping Huang Hong Kong, zhuang245@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Peter Elstrom, pelstrom@bloomberg.net, Edwin Chan, Colum Murphy

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.