Mercado abrirá em 6 h 31 min

Aliança entre PSA e FCA deve resultar no fim de marcas e modelos

br.info@motor1.com (Leo Fortunatti)
·2 minuto de leitura
Peugeot 508 Station Wagon
Peugeot 508 Station Wagon

Cortes atingirão principalmente a China, mas devem impactar outros mercados

No fim de 2019, o grupo PSA e a Fiat Chrysler Automobiles assinaram um acordo que mais tarde deu origem a uma nova empresa chamada Stellantis. O processo de união entre os dois gigantes grupos automotivos deve ser concluído no ano que vem, mas alguns planos de manufatura e produção já estão sendo discutidos. De acordo com a Automotive News Europe, estes planos podem trazer más notícias para alguns modelos e marcas.

O destaque fica para o mercado chinês, onde as vendas da PSA caíram drasticamente nos últimos anos. Do lado FCA, a Jeep é a única marca oferecida na China e as vendas caíram 36% no ano passado. O crescimento da concorrência com fabricantes japoneses e chineses são alguns dos fatores, e estes números levam os executivos a considerar algumas opções quando a Stellantis estiver concluída. O CEO da PSA, Carlos Tavares, comparou o esforço com um novo começo na China, enquanto o CFO da PSA, Philippe de Rovira, disse que não faz sentido continuar com tantas marcas e plataformas no novo grupo.

Veja também

Claro que tudo ainda está num estágio inicial e não há detalhes de quais modelos ou marcas podem sair da China. A Stellantis será a quarta maior fabricante de automóveis do mundo, com 13 marcas, incluindo gigantes como Peugeot, Citroën, RAM e Jeep. As marcas manterão suas identidades - não existirá um modelo da Stellantis como marca - mas a criação de plataformas em comum para todos será um corte de custos considerável para todos. Isso significa que muitos novos modelos devem aparecer com o tempo.

opel-corsa-e
opel-corsa-e
Fiat Argo 2021
Fiat Argo 2021

A redução de modelos e marcas na China deve impactar também outros mercados. A redução de custos é uma das metas da aliança e, se acontecer isso na China, deve acontecer também em outros mercados. A Chrysler é uma que pode sumir, assim como a Lancia. Em resumo, os próximos anos serão interessantes e drásticos.


Source: Automotive News Europe (Subscription Required)