Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    60.370,41
    -849,44 (-1,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Aliados de oposicionista Navalny acusam Telegram de censura em eleição russa

·1 minuto de leitura

Por Tom Balmforth

MOSCOU (Reuters) - Aliados do opositor do Krelim Alexei Navalny, que está preso, acusaram o Telegram de censura neste sábado, após o popular aplicativo de mensagens restringir acesso à campanha da oposição na eleição parlamentar da Rússia, como já feito por Google e Apple.

Os ativistas já haviam acusado o Google, da Alphabet, e a Apple de cederem à pressão do Kremlin, após elas removeram um aplicativo de suas lojas que aliados de Navalny esperavam usar contra o partido governista na eleição.

O aplicativo fornece recomendações detalhadas sobre em quem votar, em uma tentativa de desafiar o partido que apoia o presidente Vladimir Putin. É uma das poucas vias que restaram aos aliados de Navalny após uma forte repressão este ano.

O fundador do Telegram, Pavel Durov, que cultivou uma imagem libertária e resistiu a censuras no passado, disse que a plataforma bloquearia serviços de campanha eleitoral, incluindo um utilizado por aliados de Navalny para passar recomendações aos eleitores.

Ele disse que a decisão havia sido tomada por causa de uma proibição da Rússia a campanhas, uma vez que as urnas forem abertas, o que ele considerou legítimo e similar a restrições em muitos outros países.

A porta-voz de Navalny, Kira Yarmysh, condenou a ação.

“É uma verdadeira vergonha quando a censura é imposta por empresas privadas que supostamente defendem as ideias de liberdade”, escreveu ela no Twitter.

Ivan Zhdanov, um aliado político de Navalny, disse não acreditar na justificativa do Telegram e que a medida parecia ter sido acordada de alguma forma com as autoridades russas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos