Mercado fechará em 3 h 42 min
  • BOVESPA

    111.223,73
    -2.359,28 (-2,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.271,17
    -327,36 (-0,63%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,74
    -0,71 (-0,94%)
     
  • OURO

    1.737,20
    -14,80 (-0,84%)
     
  • BTC-USD

    41.575,93
    -1.716,38 (-3,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.027,94
    -29,20 (-2,76%)
     
  • S&P500

    4.366,06
    -77,05 (-1,73%)
     
  • DOW JONES

    34.402,54
    -466,83 (-1,34%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.808,50
    -386,25 (-2,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3390
    +0,0322 (+0,51%)
     

Alexandre Frota quer “fiscalização rigorosa” sobre o Bitcoin

·2 minuto de leitura
Deputado Federal Alexandre Frota
Deputado Federal Alexandre Frota

O Deputado Federal Alexandre Frota (PSDB-SP) voltou a falar sobre seu projeto de regulação para o Bitcoin e o mercado de criptomoedas no Brasil.

Com o PL protocolado em junho de 2021, chamou atenção que o deputado havia solicitado a criação de regras com um prazo de seis meses, ou seja, pedindo urgência no trâmite pelo Banco Central do Brasil.

“Determina o prazo de 180 dias para que o Banco Central e os demais órgãos de controle financeiro, regulamentem as transações em moedas virtuais e dá outras providências”.

A proposta chegou ao Congresso Nacional após El Salvador legalizar o Bitcoin como uma moeda de curso legal, primeiro país a fazer o movimento. Em seguida, Paraguai, Uruguai e a Argentina receberam propostas similares na América Latina.

No Brasil, a regulação do Bitcoin está em discussão desde 2015 no Congresso Nacional.

Alexandre Frota defende a regulação do Bitcoin tanto quanto dos bancos públicos e privados

O Projeto de Lei 2140/2021 tramita desde junho na Câmara dos Deputados, com o relator sendo o Dep. Luis Miranda (DEM-DF), designado pela Comissão de Finanças e Tributação (CFT) no último dia 24 de agosto.

No entanto, a proposta do deputado Alexandre Frota foi alvo de uma matéria na Agência Câmara, que destacou a proposta na última segunda-feira (30). Em conversa com o parlamentar, a jornalista Janary Júnior foi informada que ele acredita que a falta de regras coloca em risco os investidores brasileiros.

Segundo Frota, além de golpes com investimentos com retornos fixos, há ainda a possibilidade de evasão de divisas e de risco ao sistema financeiro nacional. Em sua visão, as normas criadas para o mercado de criptomoedas devem ser as mesmas que para os bancos, inclusive na tributação.

“Tanto quanto os bancos privados e públicos, é preciso haver uma normatização e fiscalização rigorosa para que a população não venha a ser enganada com promessas de altos lucros individuais, o que já tem ocorrido sobremaneira”.

Vale notar que o projeto de lei de Alexandre Frota chegou no início de julho na CFT e ainda está em discussão na comissão, que deverá considerar os impactos financeiros e orçamentários da proposta antes de sua admissão.

Para ser aprovado, o projeto ainda precisa ser analisado pelo Senado Federal e depois encaminhado para sanção presidencial.

Presidente do Banco Central do Brasil reconhece demanda pelo tema

Instruído a criar regras para o Bitcoin no Brasil em vários projetos de lei, o Banco Central será provavelmente a autarquia que cuidará do setor, visto que se trata de uma moeda digital.

Apesar disso, Roberto Campos Neto disse que discute com a CVM esse tema, pois ele acredita que o Bitcoin não é um meio de pagamento, mas sim um ativo de investimento.

De qualquer forma, ele reconheceu em uma fala recente que há demanda para regular o mercado de criptomoedas no país e que o ecossistema será regulado, provavelmente com regras prudenciais.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos