Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,76
    -0,91 (-1,45%)
     
  • OURO

    1.783,80
    +5,40 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    54.603,58
    -1.316,75 (-2,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.244,64
    +10,23 (+0,83%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.890,81
    +30,94 (+0,45%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.765,75
    -28,50 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6700
    -0,0325 (-0,48%)
     

Alexandre Frota denunciou cassino onde Gabigol foi detido, diz polícia

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) em cassino interditado pela polícia

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) afirmou que foi ele o autor da denúncia contra o cassino de luxo onde foram flagrados o jogador Gabigol, do Flamengo, o cantor MC Gui e outras 200 pessoas. A Polícia Civil confirmou ter recebido a informação do parlamentar.

“Eu recebo 2 mil denúncias de festas clandestinas e ontem não foi diferente. Eu, como cidadão e deputado, faço as denúncias no MP [Ministério Público], e depois vou ao local. E a polícia vai junto”, respondeu Frota a um seguidor no Twitter.

Leia também:

O ex-ator acompanhou o momento em que a operação ao cassino foi realizada e divulgou um vídeo em suas redes sociais, incluindo o momento em que Gabigol foi levado para o carro da polícia.

“A Polícia Civil esclarece que o deputado citado foi quem fez a denúncia sobre o local à força tarefa destinada ao combate às aglomerações e estava no local no momento da atuação dos fiscais”, informou a Polícia Civil em nota publicada pelo portal UOL.

O caso aconteceu por volta das duas horas da manhã deste domingo (14), na Vila Olímpia, bairro nobre na na zona sul de São Paulo.

Festas e aglomerações estão proibidas em todo o estado e fase vai até 30 de março. Jogos de azar também configuram contravenção.

Assim que a polícia chegou, o jogador tentou se esconder embaixo de uma mesa do estabelecimento.

Todas as pessoas foram encaminhadas para a Delegacia de Crime contra a Saúde Pública, no Centro de São Paulo.

Elas assinaram termo circunstanciado, comprometendo-se a prestar esclarecimentos depois, e foram liberadas.

À polícia, denunciantes informaram que o local funcionava há algum tempo e que foram gastos mais de 8 milhões com as instalações de luxo.

Muitos dos que estavam no cassino não usavam máscara, ou vestiam de forma errada.