Mercado fechado

Alemanha toma ativos da russa Rosneft em escalada da crise

(Bloomberg) -- A Alemanha se apropriou dos ativos locais da petrolífera russa Rosneft e se move para assumir o controle abrangente de sua indústria de energia, garantir suprimentos e romper décadas de profunda dependência de Moscou.

Na última ação, o governo disse que assumirá a unidade alemã da Rosneft, incluindo participações em três refinarias de petróleo. A Alemanha se prepara para parar de comprar petróleo russo até o final do ano por causa das sanções, e precisa encontrar fontes alternativas e garantir que o controle russo de suas principais refinarias não se torne uma ameaça ao abastecimento.

A Alemanha foi particularmente atingida pelo impasse com o Kremlin por causa de sua dependência do gás e do petróleo russos. As sanções e os esforços de Moscou de punir economicamente a Europa por seu apoio à Ucrânia arriscam levar a maior economia da região à recessão.

O setor de energia alemão sofre com o aperto no fornecimento, e os resgates financeiros do governo são rapidamente ofuscados pela magnitude da crise.

Paralelamente à sua investida contra a Rosneft, o governo do chanceler Olaf Scholz está em negociações avançadas para assumir a concessionária Uniper e duas outras grandes importadoras de gás para evitar um colapso de seu sistema de energia, segundo fontes. Uma decisão pode sair em poucos dias. A Uniper perde 100 milhões de euros por dia ao tenta substituir o gás russo por alternativas mais caras.

“As coisas são complexas, estamos trabalhando nisso com muito cuidado”, disse o ministro da economia, Robert Habeck, na quinta-feira.

A tomada da subsidiária da Rosneft é uma escalada nas tensões com a Rússia, após décadas de colaboração estreita com Moscou. A refinaria de Schwedt — perto da fronteira com a Polônia — tem, até agora, recebido seu petróleo através do oleoduto Druzhba da Rússia. Com o controle da Rosneft, ficaria difícil garantir que a planta continue recebendo combustível suficiente para abastecer Berlim e outras partes do leste da Alemanha após o fim das importações da Rússia.

O governo disse que a medida “contrabalança a ameaça iminente à segurança do fornecimento de energia”.

A Lei de Segurança Energética alemã dá ao governo o poder de assumir o controle de uma empresa do setor. A ordem, emitida pelo ministério da economia, caduca após seis meses, mas pode ser simplesmente renovada.

A Rosneft pode contestar a ordem nos tribunais alemães.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.