Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,19
    -0,47 (-0,57%)
     
  • OURO

    1.798,80
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    58.742,73
    -1.500,58 (-2,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.406,02
    -68,31 (-4,63%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    -409,53 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.609,75
    +22,50 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4242
    -0,0299 (-0,46%)
     

Alemanha não pagará trabalhadores não-vacinados em quarentena

·1 minuto de leitura
Ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, durante entrevista coletiva em Berlim

BERLIM (Reuters) - A Alemanha vai parar de pagar compensações a trabalhadores que não se vacinaram contra a Covid-19 forçados a adotar medidas de quarentena contra a doença, pois seria injusto pedir aos contribuintes do país que subsidiem aqueles que recusaram a imunização, disse o ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, nesta quarta-feira.

As regras de quarentena, que serão implementadas nos 16 Estados do país, começarão a valer em 11 de outubro no mais tardar, disse o ministro.

As normas valerão para pessoas que forem diagnosticadas com o vírus e aquelas que estiverem voltando de países considerados de "alto risco" de Covid-19, o que agora inclui Reino Unido, Turquia e partes da França, entre outros.

Viajantes não-vacinados desses locais são obrigados a ficar em quarentena durante ao menos cinco dias, mas não os que estão vacinados ou se recuperaram recentemente.

Críticos dizem que tais regras seriam equivalentes a uma obrigatoriedade de vacinação contra Covid-19, porque muitos trabalhadores não podem ficar em casa sem receber.

"Devemos enxergar isso de forma diferente", disse Spahn durante entrevista coletiva. "É sobre justiça. Aqueles que protegem a si mesmo e aos outros por meio da vacina podem, corretamente, perguntar por que devemos pagar a alguém que acabou entrando em quarentena depois de passar férias em um local de risco."

Também existem preocupações sobre privacidade. A Alemanha tem leis duras para regulamentar a privacidade de dados devido ao seu histórico de vigilância estatal de nazistas e comunistas sobre os cidadãos, e os empregadores normalmente não têm direito de pedir informações de saúde dos funcionários.

A vacinação não é obrigatória na Alemanha, mas as autoridades têm adotado medidas para tornar cada vez mais inconveniente a decisão de não se vacinar.

(Por Andreas Rinke)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos