Mercado abrirá em 9 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,46
    +0,07 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.878,40
    -0,80 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    13.243,92
    +26,63 (+0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    262,01
    -10,68 (-3,92%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.582,80
    -146,19 (-2,55%)
     
  • HANG SENG

    24.442,30
    -266,50 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    23.261,98
    -156,53 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    11.230,50
    +97,75 (+0,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7356
    +0,0012 (+0,02%)
     

Alemanha confirma mais nove casos de peste suína em javalis

·1 minuto de leitura

HAMBURGO (Reuters) - Mais nove casos de peste suína africana foram confirmados em javalis selvagens na Alemanha, no Estado de Brandemburgo, no leste do país, informou o ministério de agricultura alemão nesta quarta-feira.

As novas descobertas levam o total de casos confirmados a 29 desde o primeiro, registrado em 10 de setembro, todos em animais selvagens na área de Brandemburgo. Animais de fazendas não estão envolvidos.

O instituto científico alemão Friedrich-Loeffler confirmou que os últimos animais tinham a peste suína africana, segundo o ministério.

O governo regional de Brandemburgo decidiu construir uma cerca fixa para evitar que javalis da Polônia cruzem para o país, disse a ministra da agricultura alemã, Julia Kloeckner, acrescentando que o movimento foi bem visto pelo governo federal.

A China e outros importadores vetaram compras de carne suína da Alemanha neste mês após a confirmação do primeiro caso. No ano passado, a China havia sido o principal mercado fora da União Europeia para exportações de carne suína alemã.

A Alemanha já temia a disseminação da doença após casos confirmados em javalis selvagens na Polônia a apenas dez quilômetros na fronteira nos últimos meses. Desde então, centenas de quilômetros em cercas foram instaladas na fronteira.

(Por Michael Hogan)