Mercado fechará em 5 h 27 min
  • BOVESPA

    103.705,13
    +1.789,68 (+1,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,96
    +1,78 (+2,69%)
     
  • OURO

    1.788,80
    +12,30 (+0,69%)
     
  • BTC-USD

    57.507,36
    -566,43 (-0,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.472,35
    +29,58 (+2,05%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.151,88
    +92,43 (+1,31%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.356,25
    +205,75 (+1,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3617
    -0,0083 (-0,13%)
     

Alemanha adotará restrições aos não vacinados contra covid-19

·2 min de leitura
Profissional de saúde prepara dose de vacina contra a covid na localidade de Unterschleissheim, no sul da Alemanha, em 18 de novembro de 2021 (AFP/Christof STACHE)

A Alemanha vai generalizar as restrições específicas para as pessoas não vacinadas, como a proibição de acesso a determinados lugares públicos, para combater um novo surto de covid-19, anunciou nesta quinta-feira (18) a chanceler Angela Merkel, após uma reunião urgente.

"Precisamos interromper rapidamente o aumento exponencial" de novas infecções e da ocupação de leitos em unidades de cuidados intensivos, declarou Merkel após a reunião de crise com os chefes de governo regionais, que têm competência em matéria sanitária.

Nas últimas 24 horas, foram registrados 65.371 novos casos de covid-19 no país, segundo o instituto de vigilância sanitária Robert Koch, um aumento inédito desde o início da pandemia.

A chamada norma "2G", que permite que apenas os vacinados ("geimpfte", em alemão) e os curados ("genesene") acessem lugares públicos, como restaurantes e casas de espetáculos, será aplicado quando o limite de hospitalização superar três pacientes de covid para cada 100.000 habitantes, o que já está ocorrendo na maioria dos estados-federados do país.

De acordo com essa regra, a apresentação de um teste negativo não será suficiente se a pessoa não estiver vacinada. Na capital Berlim, a medida já estava sendo aplicada e agora será ampliada para todo o país.

Quando o nível de hospitalizações superar o valor de seis, os vacinados e curados de covid deverão, além de apresentar o certificado, contar com um teste negativo para terem acesso a uma lista de estabelecimentos. Também não está descartado o fechamento do comércio e dos bares e restaurantes.

Por outro lado, as escolas continuarão abertas, mas os alunos deverão se submeter a testes de vez em quando.

Além disso, as autoridades instaram a população a trabalhar de casa sempre que for possível. Para utilizar o transporte público e entrar no local de trabalho também será requisitado o passaporte sanitário.

As autoridades também decidiram que a vacinação será obrigatória para funcionários de hospitais e casas de repouso para idosos, uma medida que o governo vinha se recusando a adotar até agora. O calendário de aplicação da mesma, no entanto, ainda não está claro.

ilp/smk/pc-jvb/mb/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos