Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.493,64
    +1.853,88 (+3,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Alemanha adota plano de suspensão progressiva do confinamento

·1 minuto de leitura
A chanceler alemã Angela Merkel em Berlim em 3 de março de 2021

A Alemanha implementará um plano de suspensão do confinamento progressiva e condicional para a epidemia de covid-19 a partir de segunda-feira, que inclui a eventual abertura de espaços culturais, anunciou a chanceler Angela Merkel nesta quarta-feira (3).

Lojas não essenciais, museus, zoológicos, parques e memoriais podem reabrir nas próximas semanas se a incidência permanecer abaixo de 100 casos por 100 mil habitantes por uma semana, disse a chanceler, que garantiu que, com esse plano em cinco etapas, o país entra em "uma nova fase".

Merkel, portanto, aceitou aliviar as medidas draconianas de confinamento, cedendo ao crescente descontentamento da opinião pública e de seu próprio governo sete meses antes das eleições legislativas.

Após mais de nove horas de duras negociações, a chanceler e os dirigentes dos 16 estados-regiões do país chegaram a um acordo sobre um cronograma para flexibilizar as medidas de confinamento parcial em vigor desde o final do ano passado.

Apenas um terço dos alemães apoia o dispositivo anticovid, contra dois terços no início de janeiro, de acordo com uma pesquisa do YouGov divulgada esta semana.

“Hoje podemos falar de esperança”, disse a chanceler em entrevista coletiva, avaliando que seu país está entrando agora em “uma nova fase” no combate à epidemia possibilitada pela aceleração da vacinação.

mat/ylf/ybl/af/yow/jc/mvv