Mercado fechado

Alckmin pode assumir ministério-chave se Lula for eleito: Fontes

(Bloomberg) -- O candidato do PT à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, poderia indicar Geraldo Alckmin (PSB), seu vice na chapa, para algum ministério de peso com o objetivo de reforçar seu compromisso com uma agenda política e econômica moderada caso seja eleito em outubro, segundo duas pessoas com conhecimento do assunto.

Economia ou Agricultura estão entre as pastas que Alckmin poderia comandar, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas. Nas últimas semanas, o nome de Alckmin ganhou força para liderar a equipe econômica, segundo uma delas.

A aliança com Alckmin foi vista como o maior sinal até agora de que o ex-presidente começa a se afastar da ala radical do Partido dos Trabalhadores e se aproximar das visões moderadas que o ex-governador de São Paulo incorporou ao longo de três décadas de carreira política. Nomear seu vice-presidente para um cargo-chave no ministério seria uma forma de Lula reforçar esse compromisso.

Em resposta à Bloomberg, um representante da campanha de Lula disse que cargos no ministério não serão discutidos antes das eleições. A assessoria de imprensa de Alckmin informou que nunca houve conversas sobre cargos no governo, pois o candidato está focado em vencer as eleições.

Se Lula derrotar o presidente Jair Bolsonaro (PL) no mês que vem, precisará construir pontes não apenas com o Congresso para aprovar reformas, mas também com investidores preocupados com as contas públicas. Os mercados financeiros estão particularmente preocupados com as promessas do candidato do PT de acabar com a regra do teto de gastos, que limita as despesas do governo à taxa de inflação do ano anterior, a fim de impulsionar programas sociais e investimentos públicos.

Durante a campanha, Alckmin já recebeu a missão de recebeu a missão de dialogar com o agronegócio, com a indústria e com o setor financeiro.

Comando da Economia

Lula disse anteriormente que seu ministro da Economia precisa ter “visão política e versatilidade”, mas não tomará decisões sobre o ministério antes de ser eleito, disse um de seus principais assessores, embora tenha acrescentado que Alckmin terá um papel importante em qualquer cenário.

Outros nomes também foram citados para assumir o ministério da Economia, como o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, um aliado próximo de Lula, e o candidato a governador de São Paulo Fernando Haddad (PT), caso ele perca a disputa.

Quando eleito presidente pela primeira vez em 2002, Lula surpreendeu os mercados financeiros ao escolher Antonio Palocci, médico e ex-prefeito de Ribeirão Preto, como ministro da Fazenda, o cargo mais poderoso do ministério.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.