Mercado abrirá em 3 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,98
    +0,60 (+0,95%)
     
  • OURO

    1.765,80
    -4,80 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    54.876,32
    -2.005,07 (-3,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.236,17
    -62,79 (-4,83%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    6.939,66
    -60,42 (-0,86%)
     
  • HANG SENG

    29.135,73
    +29,58 (+0,10%)
     
  • NIKKEI

    29.100,38
    -584,99 (-1,97%)
     
  • NASDAQ

    13.845,00
    -52,25 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6937
    +0,0180 (+0,27%)
     

Airbus quer ser a primeira empresa a fabricar satélites em plena órbita da Terra

Wyllian Torres
·2 minuto de leitura

A empresa aeroespacial Airbus foi selecionada pela Comissão Europeia para desenvolver espaçonaves como parte do programa Horizon 2020. O projeto, intitulado Peraspera In-Orbit Demonstration (PERIOD), pretende fabricar e montar satélites a partir da órbita terrestre. Até agora, a fase A/B1 do estudo tem orçamento previsto em 3 milhões de euros e duração de dois anos.

O PERIOD pode ser considerado um precursor das futuras fabricações de estruturas em órbita, revolucionando a maneira como sistemas espaciais são projetados e executados. O projeto também pretende ser pioneiro na construção dos principais componentes de um satélite, como refletores de antena, montagem de peças da espaçonave e eventuais substituições de carga útil da máquina. Tudo isso diretamente no espaço.

As vantagens neste tipo de produção são muitas, se comparado aos tradicionais meios — satélites produzidos e montados na Terra para então serem colocados em órbita. Dessa maneira, etapas relacionadas ao lançamento, como massa do lançador, limite de volume e resistência são dispensados. O projeto ajudará a Europa a desenvolver capacidade e infraestrutura industrial, tornando-se a primeira no mercado da manufatura e manutenção em órbita. Uma missão de demonstração, com flexibilidade e menor custo, poderia ser feita usando a infraestrutura da Estação Espacial Internacional (ISS).

Reprodução artística do PERIOD realizando uma demonstração usando a ISS (Imagem: Reprodução/Airbus)
Reprodução artística do PERIOD realizando uma demonstração usando a ISS (Imagem: Reprodução/Airbus)

O chefe de futuros projetos de Exploração Espacial, da Airbus, Silvio Sandrone, diz que a empresa já trabalha em tecnologias de fabricação em órbita por mais de uma década e o programa PERIOD ajudará a Europa a movimentar seu know-how tecnológico — com isso, estando preparada para os próximos níveis. Sandrone diz: “os futuros sistemas espaciais de grande escala só podem ser fabricados e montados em órbita, por isso é crucial que a Europa esteja na vanguarda desta capacidade chave".

A Airbus já desenvolve uma série de outros programas de pesquisa no espaço, como Metal 3D, que seria a primeira impressora 3D a ser implantada no espaço já no próximo ano. Em outro projeto, o MANTOS, financiado pela Agência Espacial Europeia (ESA), a empresa demonstrou a montagem robótica com Inteligência Artificial (AI) — com apoio da Agência Espacial Alemã (DLR).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: