Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.881,54
    +2.502,62 (+2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.882,04
    +614,84 (+1,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,91
    +1,85 (+4,30%)
     
  • OURO

    1.803,20
    -34,60 (-1,88%)
     
  • BTC-USD

    19.196,83
    +744,87 (+4,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    381,00
    +11,25 (+3,04%)
     
  • S&P500

    3.633,52
    +55,93 (+1,56%)
     
  • DOW JONES

    30.022,00
    +430,73 (+1,46%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.088,00
    +182,75 (+1,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3955
    -0,0448 (-0,70%)
     

Airbus diz que deve parar de queimar caixa no 4° tri

Por Tim Hepher
·2 minuto de leitura

Por Tim Hepher

PARIS (Reuters) - A Airbus disse nesta quinta-feira que esperava parar de consumir caixa no quarto trimestre, dando aos investidores o primeiro vislumbre de um caminho para o fim da crise, após a empresa acelerar as entregas para companhias aéreas.

A fabricante de aviões disse que a primeira meta formal desde a suspensão de sua previsão anual em abril permanecia intacta depois que a França anunciou um novo lockdown nacional na quarta-feira.

O presidente-executivo, Guillaume Faury, disse que a Airbus aprendeu muito sobre como se adaptar durante os sete meses de crise.

Mas ele também alertou que o tráfego aéreo está demorando mais do que o esperado para se recuperar do impacto dramático visto no início da pandemia, quando as companhias aéreas foram forçadas a suspender os voos.

"Acreditamos que teremos que conviver com a circulação do vírus por um longo período", disse Faury.

As ações da Airbus operavam com volatilidade, conforme as preocupações relacionadas à pandemia disputavam a atenção com uma previsão de caixa otimista e lucro operacional melhor do que o esperado, que excluiu um encargo de reestruturação de 1,2 bilhão de euros.

O lucro operacional do terceiro trimestre caiu 49%, para 820 milhões de euros, enquanto a receita caiu 27% para 11,2 bilhões, superando as previsões do mercado sobre o lucro, mas ficando abaixo na das receitas.

A Airbus aumentou as entregas, em parte, fechando acordos com companhias aéreas para guardar as aeronaves enquanto não podem colocá-las diretamente em serviço. Mas algumas fontes da indústria disseram que um novo lockdown na França levantou novas questões sobre sua capacidade de entregar jatos sem novos problemas.

A companhia não anunciou novas metas de entregas, mas pessoas que acompanham o cronograma dizem que a Airbus parece ter como objetivo algo entre 500 e 550 entregas de aeronaves em 2020, ante 863 em 2019.