Mercado abrirá em 2 h 35 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,78
    +0,73 (+1,12%)
     
  • OURO

    1.700,00
    +22,00 (+1,31%)
     
  • BTC-USD

    54.191,82
    +4.439,51 (+8,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.094,61
    +70,41 (+6,87%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.760,19
    +41,06 (+0,61%)
     
  • HANG SENG

    28.773,23
    +232,40 (+0,81%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.532,50
    +235,25 (+1,91%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9831
    +0,0233 (+0,33%)
     

Airbus anuncia prejuízo de € 1,1 bilhão em 2020 devido à pandemia

·1 minuto de leitura
A Airbus teve prejuízo líquido em 2020, mas conseguiu limitar as perdas apesar do colapso do setor aéreo devido à epidemia de coronavírus

A fabricante de aviões Airbus anunciou nesta quinta-feira um prejuízo líquido de 1,1 bilhão de euros (1,324 bilhão de dólares) em 2020, um resultado que limita suas perdas apesar do colapso do setor aéreo devido à epidemia de coronavírus.

No momento em que o tráfego aéreo enfrenta uma crise sem precedentes, a empresa europeia registrou um retrocesso de 29% no volume de negócios, a 49,9 bilhões de euros (60,1 bilhões de dólares).

No ano passado, o grupo entregou 566 aeronaves, um terço a menos que em 2019.

Em um sinal de que a Airbus não espera uma recuperação imediata do mercado, suas previsões para 2021 incluem "entregar o mesmo número de aviões comerciais que em 2020".

"Os resultados mostram a resistência da Airbus durante a crise mais dura vivida até hoje pela indústria aeroespacial", afirmou o CEO do grupo, Guillaume Faury.

"Grandes incertezas persistem em nossa indústria em 2021, porque a pandemia continua afetando nossas vidas e nossas sociedades", completou.

Em junho, a Airbus anunciou o corte de 15.000 postos de trabalho, incluindo 5.000 na França e 5.100 na Alemanha, de um total de 134.000 funcionários.

Apesar dos números, a Airbus está em uma situação melhor que a Boeing, sua principal concorrente. A empresa americana registrou prejuízo de 11,9 bilhões de dólares em 2020, afetada pelos problemas de seu modelo 737 MAX e os atrasos na entrega dos primeiros 777X para o fim de 2023.

O prejuízo líquido da Airbus foi levemente inferior ao do ano anterior, marcado por uma multa de € 3,6 bilhões por um escândalo de corrupção.

mra/ak/af-bl/fp