Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.556,76
    -557,40 (-0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.038,58
    +230,02 (+0,51%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,54
    +1,83 (+2,39%)
     
  • OURO

    1.635,80
    +2,40 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    19.086,17
    -73,25 (-0,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,13
    -21,00 (-4,57%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.984,59
    -36,36 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.344,25
    +28,00 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1600
    -0,0194 (-0,37%)
     

Airbus alivia pressão sobre fornecedores, mas mantém metas de produção, dizem fontes

Por Tim Hepher e Jamie Freed

PARIS/CINGAPURA (Reuters) - A Airbus está discretamente aliviando a pressão sobre os fornecedores para que se comprometam com um aumento acentuado da produção para 75 jatos de fuselagem estreita por mês até meados da década, em meio a dificuldades na cadeia de suprimentos, disseram fontes do setor.

Oficialmente, a empresa continua com a meta de alcançar produção de 75 jatos de fuselagem estreita por mês em 2025. Em julho, a companhia adiou em seis meses, para o início de 2024, uma meta provisória de 65 jatos da família A320 por mês, citando problemas na cadeia de suprimentos.

É provável que a empresa reafirme ambas as metas de produção em uma reunião com investidores no final desta semana, disseram fontes do setor.

Mas à medida que mais fornecedores alertam sobre a escassez de peças e mão de obra, a Airbus reconheceu nos bastidores os desafios de atingir a meta mais alta até 2025, mesmo mantendo a de 65 por mês --atualmente são 50 ou mais--, disseram as fontes.

Os pedidos de planos detalhados de como os fornecedores chegarão aos 75 estão "ficando silenciosos", disse uma fonte aeroespacial sênior à Reuters.

"A meta de produção mensal da família A320 de 75 unidades para 2025 permanece inalterada", afirmou um porta-voz da Airbus nesta quarta-feira.

Greg Hayes, presidente-executivo da Raytheon Technologies, maior fornecedora aeroespacial do mundo, questionou na semana passada a meta.

"Se você der uma olhada nas projeções para a Airbus, achamos que a Airbus em 2025 terá 65 (em um mês). E Guillaume (Faury, presidente-executivo da Airbus) pode falar em 75, mas nós achamos que 65 é viável", disse ele em uma conferência do Morgan Stanley.

Outros dizem que a meta final é alcançável, mas não antes de 2026.

"Haverá solavancos ao longo do caminho. Eles podem chegar a 75 (por mês), mas não necessariamente até 2025", disse à Reuters o presidente-executivo da BOC Aviation, Robert Martin.

Muito dependerá de os fabricantes conseguirem resolver as dificuldades da cadeia de suprimentos no próximo ano, disse ele.

"Mas então temos um problema diferente: potencialmente há um problema de demanda, que é o que acontece na Europa em particular."

O porta-voz da Airbus disse na quarta-feira que as decisões de produção da empresa seguem "análise da demanda global" e uma avaliação do ecossistema industrial.