Mercado fechado

Airbnb proíbe oficialmente festas dentro das casas alugadas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Airbnb, plataforma de aluguel de casas por temporada, anunciou na terça-feira (28) que oficializou a proibição de festas organizadas pelos clientes. A nova política é consequência da proibição temporária que ocorreu em agosto de 2020, que vigorava até o momento. A empresa afirmou, em seu comunicado, que a proibição temporária mostrou-se eficaz, portanto tornou-se permanente.

Há anos a Airbnb era envolvida em denúncias porque inquilinos tinham o hábito de realizar festas nos imóveis. Elas eram anunciadas até mesmo em redes sociais, e não raro deterioravam os imóveis e incomodavam vizinhos. O Airbnb diz que suspendeu as contas de cerca de 6.600 convidados por violar a proibição.

Sabemos que a esmagadora maioria de nossos anfitriões compartilham suas casas com responsabilidade, assim como a esmagadora maioria dos hóspedes são responsáveis e tratam suas listagens e bairros como se fossem seus próprios. Por sua vez, focamos em tentar dissuadir os raros casos de inquilinos que não operam de forma responsável, ou convidados que tentam fazer festas não autorizadas

Em 2019, Airbnb lançou atendimento telefônico de apoio à vizinhança para evitar festas (Imagem: Divulgação/Airbnb)
Em 2019, Airbnb lançou atendimento telefônico de apoio à vizinhança para evitar festas (Imagem: Divulgação/Airbnb)

Em 2019, a plataforma lançou um atendimento telefônico de apoio à vizinhança em vários países onde atua, para que os vizinhos comunicassem problemas do tipo. Com a chegada da pandemia de covid, clientes tentaram suprir a ausência de muitos bares e clubes abertos para realizar grandes festas nas casas alugadas.

"Isso foi preocupante para nós, tanto pela natureza disruptiva das partes não autorizadas quanto pelo risco de tais encontros espalharem o vírus", disse a empresa, ao justificar a proibição de festas na época.

A empresa diz que os resultados demonstram a assertividade da medida. "Acreditamos que há uma correlação direta entre a implementação da política em agosto de 2020 e uma queda de 44% em relação ao ano anterior na taxa de relatos de festas. A proibição foi bem recebida pela nossa comunidade anfitriã e recebemos feedback positivo de líderes comunitários e funcionários eleitos", complementa o texto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos