Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.137,16
    +1.469,50 (+1,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.824,99
    -407,21 (-0,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,61
    +1,18 (+1,38%)
     
  • OURO

    1.843,60
    +31,20 (+1,72%)
     
  • BTC-USD

    41.877,96
    +170,49 (+0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    994,89
    +0,15 (+0,01%)
     
  • S&P500

    4.568,44
    -8,67 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    35.249,64
    -118,83 (-0,34%)
     
  • FTSE

    7.589,66
    +26,11 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    24.127,85
    +15,07 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    27.467,23
    -790,02 (-2,80%)
     
  • NASDAQ

    15.188,25
    -17,75 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2021
    -0,1050 (-1,66%)
     

Airbnb combate preconceito racial com simples mudança

·1 min de leitura
Airbnb, a empresa de aluguel de curto prazo, começará a ocultar os primeiros nomes dos hóspedes do Oregon dos anfitriões. (REUTERS/Dado Ruvic/Illustration)
  • Airbnb começará a ocultar os primeiros nomes dos hóspedes do Oregon dos anfitriões

  • Programa será implementado até o final de janeiro e terá duração de pelo menos dois anos

  • Mudanças decorrem do acordo de 2019 de uma ação judicial movida por três mulheres afro-americanas

Em um esforço para combater o preconceito racial no processo de reserva do Airbnb, a empresa de aluguel de curto prazo, começará a ocultar os primeiros nomes dos hóspedes do Oregon dos anfitriões. Em vez disso, os possíveis locatários verão as primeiras iniciais dos possíveis hóspedes até que a reserva seja confirmada.

Leia mais

"Esta atualização é consistente com o acordo voluntário que chegamos em 2019 com indivíduos em Oregon que levantaram questões sobre a forma como os nomes dos hóspedes são exibidos quando eles procuram fazer uma reserva", disse a empresa em uma postagem de blog anunciando a mudança.

Programa será implementado ainda em janeiro

O programa será implementado até o final de janeiro e terá duração de pelo menos dois anos. Neste ponto, a mudança está limitada aos residentes do Oregon, que não têm planos concretos de torná-la permanente ou expandi-la. "Dado que o impacto desta mudança é desconhecido, a implementação será limitada", disse um porta-voz da empresa por e-mail.

As mudanças decorrem do acordo de 2019 de uma ação judicial movida por três mulheres afro-americanas que alegaram que exigir que os convidados compartilhem fotos de seus rostos permite que os anfitriões os discriminem com base na raça.

Em 2016, um estudo do Harvard Business Review Journal descobriu que "convidados com nomes distintamente afro-americanos" tinham 16% menos probabilidade de serem aceitos na plataforma do que "convidados idênticos com nomes distintamente brancos".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos