Mercado abrirá em 41 mins
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,10
    -1,29 (-3,45%)
     
  • OURO

    1.878,90
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    13.123,77
    -39,62 (-0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    259,45
    -13,24 (-4,85%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.600,65
    +17,85 (+0,32%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.229,25
    +96,50 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7190
    -0,0154 (-0,23%)
     

Ainda não está claro a que patamar inadimplência do Itaú poderá chegar, diz Setubal

Talita Moreira
·2 minutos de leitura

Presidente da Itaúsa diz que vai voltar a aumentar a distribuição de dividendos, à medida que as companhias investidas pela holding se recuperarem da crise O presidente da Itaúsa, Alfredo Setubal, disse que ainda não está claro a que patamar o índice de inadimplência do Itaú Unibanco poderá chegar nos próximos meses. “Já vimos algumas pessoas voltando a pagar, mas o número real só vamos ver quando as prorrogações voltarem a ser pagas”, disse, em evento da holding para investidores. Setubal lembrou que o banco prorrogou o pagamento de parcelas para dar mais prazo a clientes pessoa física e jurídica se organizarem na crise, e o Banco Central (BC) flexibilizou regras de provisionamento e capital para facilitar esse processo. “Houve uma grande renegociação de contratos.” O presidente da Itaúsa, Alfredo Setubal, diz que ainda não está claro como será a saída da crise Ana Paula Paiva/Valor Para o executivo, não está claro ainda como será a saída da crise, já que muitas empresas - especialmente as pequenas - fecharam as portas e o setor de serviços foi amplamente afetado. Setubal afirmou que vai voltar a aumentar a distribuição de dividendos, à medida que as companhias investidas pela holding se recuperarem da crise. A retomada depende principalmente do Itaú Unibanco, que é o principal ativo do portfólio e teve forte queda nos resultados neste ano por causa do reforço no provisionamento e porque o Banco Central limitou a distribuição de dividendos pelas instituições financeiras. Com isso, o "dividend yield" da Itaúsa, que chegou a bater em 9,1% em junho, caiu para 5,9%. “O banco teve que fazer provisões para enfrentar a crise, mas está muito sólido. Temos certeza de que vamos recuperar o crescimento e voltar para níveis normais de atividade no Itaú”, afirmou. Produção Setubal destacou que, no início da crise, as 14 fábricas da Duratex chegaram a fechar. No entanto, já recuperaram o ritmo normal de produção. A Alpargatas não chegou a interromper a produção, mas teve de recorrer a bancos para renegociar prazos, acrescentou. “Estamos enfrentando a crise com tenacidade e estrutura forte de capital”, destacou. De acordo com Setubal, a economia brasileira vinha se recuperando, mas “o carro bateu no muro e a parada foi súbita”. Agora, disse ele, está retomando a atividade. O presidente da Itaúsa destacou também o crescimento da base de acionistas da holding, que soma agora 848 mil investidores, presentes em 92% das cidades brasileiras. Em 2017, eram apenas 71 mil. “Isso aumenta nossa responsabilidade”, afirmou.