Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.558,45
    -223,86 (-0,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

AIE alerta para oferta ainda mais apertada sem acordo da Opep+

·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A oferta global de petróleo deve ficar “significativamente” apertada, a menos que a aliança Opep+ resolva o impasse e concorde em aumentar a produção, alertou a Agência Internacional de Energia.

Devido à disputa entre a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, a Opep+ deve manter os níveis de produção inalterados no mês que vem, mesmo com a recuperação do consumo de combustíveis do impacto da pandemia e com o pico da demanda no verão do hemisfério norte.

O impasse do grupo ameaça criar um “déficit crescente de oferta”, com “o potencial de que os altos preços dos combustíveis estimulem a inflação e prejudiquem a frágil recuperação econômica”, disse a AIE em relatório mensal. O petróleo Brent é negociado perto do maior nível em dois anos, acima de US$ 75 o barril.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados vinham repondo gradualmente o grande volume de produção retirado do mercado durante a pandemia, mas a disputa entre os dois países do Oriente Médio - centrada em torno da cota de produção dos Emirados Árabes Unidos - atrasou o processo.

O impasse chega em um momento particularmente inoportuno, segundo o relatório da AIE. O excesso de petróleo acumulado durante a pandemia foi eliminado, e os estoques agora estão abaixo dos níveis médios. Ao mesmo tempo, a demanda mundial deve se recuperar em 5,4 milhões de barris por dia este ano em relação à queda sem precedentes vista em 2020.

“O crescimento econômico global robusto, o aumento das taxas de vacinação e as medidas de relaxamento do distanciamento social se combinarão para sustentar uma demanda global por petróleo mais forte no restante do ano”, disse a agência com sede em Paris, que assessora a maioria das principais economias.

No limbo

A Opep+ estava prestes a aprovar um plano para reativar a produção em volumes mensais de 400 mil barris por dia até o fim de 2022. As negociações do grupo foram interrompidas em 5 de julho, após uma terceira tentativa de chegar a um acordo e, apesar dos esforços de mediação, o pacto continua no limbo.

Com as vendas de agosto fixadas e a maioria dos países do Golfo em preparação para um feriado islâmico, o debate será direcionado aos volumes de fornecimento de setembro quando a coalizão se reunir novamente, disseram os delegados.

Mesmo se a Opep+ fechar um acordo, o relatório da AIE mostra que o aumento da produção de 400 mil barris por dia em estudo ficará muito aquém das necessidades dos consumidores.

O grupo de 23 nações bombeou 40,9 milhões de barris por dia em junho, estima a AIE. Mesmo que a Opep+ prossiga com os aumentos planejados para este mês, a produção ainda ficará significativamente abaixo dos 43,45 milhões por dia que a AIE estima serem necessários no segundo semestre.

Isso pode levar a uma queda adicional dos estoques que, nos países desenvolvidos, já estão 10,8 milhões de barris abaixo do nível médio de 2015 a 2019, disse a agência. Os estoques estavam cerca de 250 milhões de barris acima da média no pico da saturação do mercado em meados do ano passado.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos