Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.434,37
    +162,88 (+0,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,82 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

A de Agro nasce com apoio do BTG e previsão de liberar R$1,8 bi em crédito em 1 ano

·2 minuto de leitura
Feira livre

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado do agronegócio do Brasil recebeu nesta quinta-feira o anúncio da criação da agfintech A de Agro, que possui parceria com o banco de investimentos BTG Pactual e pretende disponibilizar 1,8 bilhão de reais em créditos a produtores rurais ao longo do próximo ano.

Segundo a companhia, seu objetivo é facilitar a tomada de empréstimos com menos burocracia no setor. Em comunicado, a agfintech chamou atenção para os 450 mil agricultores que formam o mercado de crédito agrícola para pequenos e médios produtores.

"Nascemos para levar crédito ao campo, conectando vários players do mercado financeiro ao produtor. Vamos diminuir a burocracia do financiamento e melhorar a precificação", disse o CEO da A de Agro, Rafael Coelho.

"Avaliamos o que realmente importa, a lavoura daquele produtor e não as médias regionais", acrescentou o executivo, afirmando que a análise dessas informações resulta na criação de uma taxa mais atrativa para o produtor, embora cifras específicas para as operações não tenham sido divulgadas.

A A de Agro destacou que possui uma pontuação de crédito baseada em oito fatores: escala da área, produtividade relativa, homogeneidade da lavoura, balanço de área dos últimos anos, relevância da cultura na região, experiência do produtor, clima e receita potencial estimada.

Parte desses dados, ainda de acordo com a agfintech, é analisada a partir de imagens de satélite e serviços de inteligência artificial.

Além disso, a companhia também promete monitorar as áreas tomadoras de crédito, com o objetivo de mitigar os riscos durante o plantio da safra e "não ter surpresas".

"O financiador sabe antes o que o mercado demora alguns dias para tomar conhecimento", disse Coelho.

Além do apoio do BTG Pactual, a A de Agro também carrega o histórico da empresa de tecnologia do agronegócio Agronow, que fornece serviços de monitoramento de safras. Na nova companhia, a agtech vai se tornar a "A de Agro Labs", mantendo sua análise de propriedades rurais e de culturas como cana-de-açúcar, milho e soja.

(Por Gabriel Araujo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos