Mercado fechado

Agenda do Dia: Eletrobras; Petrobras; Cemig; Helbor

Juliano Passaro
Agenda do Dia: Eletrobras; Petrobras; Cemig; Helbor

Os assuntos da Agenda do Dia desta quarta-feira (15) prometem mexer com o mercado interno e o externo.

Os dados sobre vendas no varejo, de novembro do ano passado, foram divulgados nesta quarta pelo IBGE. O governo anunciou que a Eletrobras (ELET3) é prioridade no plano de privatizações deste ano. Além disso, o governo quer arrecadar R$ 150 bilhões com as desestatizações. A Cemig (CMIG4)comunicou à CVM, na última terça-feira (14), que não tomou nenhuma decisão sobre a venda de sua fatia de 45% na empresa Aliança.

A Agenda do Dia conta também com a notícia sobre a Helbor, que informou a venda de três imóveis por R$ 175,1 milhões.

Confira os principais pontos da Agenda do Dia:

Vendas no varejo

Em novembro do ano passado, o volume de vendas do comércio varejista nacional cresceu 0,6% ante outubro, na série livre de influências sazonais, sétima taxa positiva seguida, intervalo em que o varejo acumulou ganho de 3,3%. O índice de média móvel trimestral, depois de uma alta de 0,4% no trimestre encerrado em outubro, cresceu em 0,5% no trimestre encerrado no mês posterior.

O volume de vendas do comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, registrou queda de 0,5% em relação a outubro do ano passado, quebrando a sequência de oito meses de crescimento consecutivo, período em que o varejo ampliado cresceu 5,1%.

Eletrobras

O secretário especial de desestatização e desinvestimento, Salim Mattar, anunciou, na última terça-feira (14), que o governo tem como meta, neste ano, a arrecadação de R$ 150 bilhões com a venda de 300 ativos públicos. Entre as empresas que estão dentro desse plano, está a Eletrobras (ELET3). O secretário acrescentou que a Petrobras, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal não serão privatizadas.

Veja também: Enel é criticada por Caiado, propondo que EDP assuma a concessão

De acordo com Mattar, a principal meta do governo este ano é vender os ativos da Eletrobras. Dos 300 ativos da lista, mais de 200 estão ligados a empresa estatal de energia elétrica.

Petrobras

A Petrobras (PETR3) fechou a venda de 50% da participação que a Petrobras International Braspetro BV (PIBBV) tinha na Petrobras Oil & Gas BV (PO&GBV). A participação foi adquirida pela Petrovida Holding B.V (Petrovida), na última terça-feira (14). O valor da operação foi de US$ 1,45 bilhão (R$ 5,87 bilhões) por ativos que eram da Petrobras na África. 

Cemig

A Cemig comunicou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), na última terça-feira (14), que não tomou nenhuma decisão sobre a venda de sua fatia de 45% na empresa Aliança para a Vale. De acordo com informações publicadas pelo jornal "Valor Econômico", a participação da Cemig na Aliança é avaliada em R$ 2 bilhões.

Helbor

Após o fechamento do pregão na última terça-feira (14), a Helbor (HBOR3) divulgou um fato relevante sobre seus empreendimentos. No comunicado, a Helbor informou a venda de três imóveis ao fundo imobiliário Multi Renda Urbana, administrado pela BRL Trust, por R$ 175 milhões. Os empreendimentos são:

  • Neolink Office, Mall & Stay, no Rio de Janeiro;
  • One Eleven, em São Paulo
  • The Cittyplex, em Osasco

RNI

A RNI Negócios Imobiliários enviou um comunicado ao mercado informando a contratação da corretora BTG Pactual para atuar como formadora de mercado das suas ações ordinárias na B3. De acordo com a empresa, a corretora irá começar a atuar nesta quarta-feira (15). Vale destacar que a RNI possui 42,2 milhões de ações ON circulando no mercado.

A Agenda do Dia da Suno mostra os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia.