Mercado fechará em 3 h 37 min
  • BOVESPA

    118.221,51
    -1.424,89 (-1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.272,16
    +146,45 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,97
    -0,34 (-0,64%)
     
  • OURO

    1.865,70
    -0,80 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    31.826,16
    -1.675,94 (-5,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    633,37
    -46,54 (-6,84%)
     
  • S&P500

    3.858,72
    +6,87 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    31.248,36
    +59,98 (+0,19%)
     
  • FTSE

    6.721,00
    -19,39 (-0,29%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    -34,71 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    +233,60 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    13.370,50
    +76,25 (+0,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5267
    +0,1187 (+1,85%)
     

Agência reguladora europeia aprova uso da vacina da Moderna

·1 minuto de leitura
Logotipo da empresa Moderna, em Massachusetts

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) aprovou nesta quarta-feira (6) a vacina contra a covid-19 da farmacêutica americana Moderna, a segunda com uso autorizado na União Europeia (UE).

"A EMA recomendou conceder uma autorização de comercialização condicional para a vacina covid-19 da Moderna para prevenir a doença coronavírus 2019 em pessoas a partir dos 18 anos", anunciou a agência com sede em Amsterdã em um comunicado.

A vacina é a segunda autorizada pela agência para os 27 países da UE depois do produto da Pfizer-BioNTech, aprovado no final de dezembro.

A autorização da vacina da Moderna ocorre em meio a críticas sobre a lentidão da campanha de vacinação na UE, muito distante do ritmo dos Estados Unidos, Reino Unido e Israel.

"Esta vacina nos proporciona outra ferramenta para superar a atual emergência", disse a diretora-executiva da EMA, Emer Cooke, em nota.

"Esta segunda recomendação de vacina positiva apenas um ano depois de a OMS declarar a pandemia é uma prova dos esforços e do compromisso de todos os envolvidos", acrescentou.

A chefe da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que é "uma boa notícia para nossos esforços para levar mais vacinas contra a covid-19 aos europeus".

Vários países pressionaram a EMA para que autorizasse a vacina da Moderna diante do aumento de casos de coronavírus em toda Europa.

A agência não chegou a um consenso em uma reunião na segunda-feira (4), inicialmente prevista para 12 de janeiro, e voltou a se reunir nesta quarta.

A EMA afirmou que durante este tempo esteve "trabalhando duro para esclarecer todas as questões pendentes com a empresa".

dk/lc/pc/mar/fp/aa