Mercado abrirá em 4 h 56 min
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,73
    +1,23 (+2,00%)
     
  • OURO

    1.753,40
    +24,60 (+1,42%)
     
  • BTC-USD

    46.356,62
    +1.738,34 (+3,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    926,46
    -6,68 (-0,72%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    29.435,11
    +454,90 (+1,57%)
     
  • NIKKEI

    29.663,50
    +697,49 (+2,41%)
     
  • NASDAQ

    13.111,75
    +200,75 (+1,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7559
    -0,0024 (-0,04%)
     

Agência Espacial Europeia vai contratar o primeiro astronauta com deficiência

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

A Agência Espacial Europeia (ESA) anunciou a abertura de uma chamada para a seleção de novos astronautas. Este é o primeiro processo seletivo feito pela agência em mais de uma década e, desta vez, a oportunidade traz acessibilidade para os interessados. É que a seleção está aberta também para o primeiro "parastronauta", que será um astronauta com deficiência física.

Nesta chamada, a ESA espera contratar de quatro a seis astronautas de carreira, aqueles que vão ficar na equipe permanentemente. Os demais irão compor um grupo de 20 astronautas reserva, que vão voar em missões mais curtas para destinos como a Estação Espacial Internacional (ISS) — segundo David Parker, diretor de exploração humana e robótica na ESA, inicialmente o parastronauta deverá entrar para esta equipe.

O candidato selecionado será o primeiro astronauta com deficiência física da história, e a agência está em busca de indivíduos que tenham qualificações cognitivas, técnicas e profissionais para se tornarem astronautas. Além disso, eles também devem ter uma deficiência física que não permitiria que fossem selecionados devido aos requisitos atuais dos equipamentos espaciais, como amputações nas pernas, diferenças no comprimento delas ou indivíduos de baixa estatura.

Os candidatos de estatura inferior a 1,3 m ou com deficiências na perna poderão participar da seleção (Imagem: Reprodução/ESA)
Os candidatos de estatura inferior a 1,3 m ou com deficiências na perna poderão participar da seleção (Imagem: Reprodução/ESA)

Depois de recrutados, os candidatos escolhidos vão trabalhar com a ESA para determinar que tipo de acomodações físicas serão necessárias — contudo, a seleção não significa a garantia da participação em voos espaciais. Além da seleção, a ESA irá trabalhar com fornecedoras de veículos e parceiros internacionais para identificar e realizar adaptações. Segundo informações de um comunicado da agência, "a ESA está pronta para investir nas adaptações necessárias do hardware espacial para permitir que estes profissionais de qualificação de excelência sirvam como membros profissionais da tripulação, em uma missão segura e útil".

Um dos motivos da contratação do futuro astronauta com deficiência envolve a crença de que a exploração espacial é questão de uma iniciativa coletiva, e a agência notou ser preciso aumentar o grupo de talentos com quem podem contar para continuar avançando nesse sentido. Já o diretor geral Jan Wörner comentou que a representação visível sempre é importante, de modo que os oficiais vinham se perguntando quais eram as barreiras que os impediam de levar um astronauta com deficiência à ISS.

Desde quando foi criada, a ESA selecionou novos astronautas somente três vezes, sendo que a primeira campanha de recrutamento ocorreu entre 1978 e 1979, e a mais recente foi feita entre 2008 e 2009. Agora, esta nova classe de astronautas irá integrar a equipe da agência em uma época agitada. É que, além de enviar astronautas para viver por alguns meses na ISS, a ESA vem também contribuindo para o programa Artemis, da NASA, e para o fornecimento de módulos para a estação Gateway.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: