Mercado fechará em 1 h 31 min

Afinal, o que os astronautas da missão Demo-2 fizeram de bom na ISS?

Daniele Cavalcante
·5 minuto de leitura

Os astronautas Bob Behnken e Doug Hurley cumpriram com louvor a missão Demo-2, a primeira tripulada lançada por uma empresa privada - no caso, a SpaceX. Também foi a primeira missão da NASA lançada a partir de território dos EUA desde 2011. Mas, afinal, o que eles fizeram durante a estadia de dois meses na Estação Espacial Internacional (ISS)?

Por ser uma missão de demonstração para provar que a nave Crew Dragon é capaz de transportar astronautas ao espaço, trazendo-os de volta à Terra em segurança, a dupla ficou a bordo da (ISS) por apenas 62 dias (normalmente, as expedições passam seis meses por lá). Mas isso não significa que eles tiveram pouco trabalho para fazer. Além das caminhadas espaciais, eles também ajudaram a tripulação a bordo da ISS em outras tarefas e experimentos científicos.

Confira, abaixo, mais detalhes das atividades de Behnken e Hurley por lá durante esses dois meses.

Instalações de novas estruturas

Foto: NASA
Foto: NASA

Em julho, foi instalada uma nova estrutura no laboratório Columbus, que é parte do módulo europeu da ISS. Para a instalação, foi necessário o trabalho de duas pessoas, e a dupla da Demo-2 foi escalada para a tarefa. O componente havia viajado a bordo da nave japonesa HTV9 e será usado em novas experiências científicas na ISS.

Behnken e Harley realizaram então a instalação da estrutura European Drawer Rack Mark 2 (EDR2) com sucesso. Ela é capaz de suportar uma larga variedade de experiências e demonstrações científicas e tecnológicas, fornecendo energia, sistemas de arrefecimento, nitrogênio, ventilação de gases e tecnologias de comunicação de dados.

A EDR2 vai ainda ganhar uma impressora 3D, capaz de trabalhar com materiais metálicos, além de um instrumento de análise de compostos granulares e uma ferramenta que permite investigar os fluxos de transferência de calor.

A Terra vista do espaço

Foto de um dos astronautas da Demo-2 registrou o furacão Isaias (Foto: Doug Hurley)
Foto de um dos astronautas da Demo-2 registrou o furacão Isaias (Foto: Doug Hurley)

A dupla contribuiu bastante com o Crew Earth Observations (CEO), projeto em que as tripulações a bordo da ISS fotografam a Terra de seu ponto de vista único. As fotografias registram como o planeta está mudando ao longo do tempo, mostrando as mudanças causadas pelo homem - tais como o crescimento urbano e construção de reservatórios - e eventos naturais como furacões, inundações e erupções vulcânicas.

Você pode conferir algumas das fotografias mais legais da missão Demo-2 na ISS clicando aqui.

Preparando outras instalações

Foto: NASA
Foto: NASA

A NASA desenvolveu uma espécie de “hotel para robôs” e encarregou Bob para preparar tudo para a instalação, durante uma caminhada espacial. Essa estrutura, chamada "Robotic Tool Stowage" (RiTS), será responsável por armazenar as ferramentas robóticas do lado de fora da estação, liberando espaço para os astronautas. Os primeiros residentes do RiTS são duas unidades do Robotic External Leak Locators (RELL), que serão usados pelo robô Dextre, da Agência Espacial Canadense, para detectar vazamentos da estação.

Behnken realizou a tarefa ao lado do atual comendante da ISS, Christopher Cassidy. Eles instalaram a unidade com suas ferramentas durante uma caminhada espacial, a décima da carreira de ambos os astronautas.

ACE

Foto: NASA
Foto: NASA

Hurley, por sua vez, tirou fotos de módulos para o Advanced Colloids Experiments (ACE). As experiências com o ACE usam a microgravidade da estação orbital para examinar o comportamento de coloides - sistemas nos quais um ou mais componentes apresentam pelo menos uma das suas dimensões dentro do intervalo de 1nm (nanômetro) a 1µm (micrômetro).

Coloides são encontrados em produtos que variam de leite a amaciante, de acordo com a NASA, e a experiência permitirá uma melhor compreensão dessas substâncias, o que pode influenciar diversas indústrias na Terra e até melhorar a vida útil dos produtos.

Bolhas e gotículas na microgravidade

Foto: NASA
Foto: NASA

Behnken e Hurley trabalharam também no monitoramento de experiências científicas que exigiam a presença humana, como é o caso do experimento Electrolytic Gas Evolution Under Microgravity, que analisa bolhas criadas usando eletrólise. Esse método serve para entender melhor como as bolhas crescem, permitindo assim melhorar produtos, como remédios para a pele.

Os astronautas da Demo-2 também conduziram o Estudo de formação de gotículas no interior da Microgravity Science Glovebox (MSG), para avaliar a formação dessas estruturas de água. Os efeitos completos da gravidade na formação do tamanho das gotículas de água são desconhecidos, e essa pesquisa em microgravidade pode ajudar a melhorar a tecnologia, e também na economia de água e energia na ISS.

Ponche de frutas na espuma

Em outro experimento, Hurley apertou um saco de ponche de frutas - não para apreciar uma bebida refrescante, mas sim para enviar o líquido vermelho por um tubo transparente e conduzi-lo até um bloco de espuma branca. Esse experimento fornece aos pesquisadores melhores informações sobre o gerenciamento de líquidos em microgravidade.

Caminhadas espaciais

O astronauta Bob Behnken durante uma das caminhadas espaciais para trocar baterias externas na ISS (Foto: NASA)
O astronauta Bob Behnken durante uma das caminhadas espaciais para trocar baterias externas na ISS (Foto: NASA)

Por fim, em suas caminhadas espaciais, os astronautas da Demo-2 realizaram a troca de algumas das baterias antigas de níquel-hidrogênio do último dos canais de energia da treliça de estibordo 6 (S6). Depois, instalaram novas baterias de íon-lítio e placas adaptadoras para completar o novo circuito de energia. Essas trocas fizeram parte do projeto de 3 anos e meio de atualização do sistema de energia ISS.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: