Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.906,35
    -1.720,95 (-3,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Afeganistão: população apaga redes sociais com medo de perseguição do Talibã

·2 minuto de leitura
Afeganistão: população apaga redes sociais com medo de perseguição do Talibã
Afeganistão: população apaga redes sociais com medo de perseguição do Talibã

O grupo fundamentalista Talibã tomou o poder no Afeganistão há poucos dias e já preocupa toda a população local, que tenta fugir do país e até mesmo apagar os registros feitos em redes sociais com medo de possível perseguição.

Os afegãos acreditam que o grupo extremista pode utilizar das informações obtidas na internet para punir e perseguir aqueles que descumpram o regulamento fundamentalista religioso que é imposto.

Radicais do Talibã em frente a um Super Tucano
Afeganistão: população apaga redes sociais com medo de perseguição do Talibã. Crédito: Reprodução/Redes Sociais

De acordo com o portal Wired, além de pessoas apagando dados on-line, muitas outras querem apenas esconder os registros, pensando que eles podem funcionar como uma ferramenta para deixar o país em breve.

O site internacional afirma que a realização de uma filtragem em postagens nas redes sociais partiu da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), que enviou a diversos parceiros um e-mail solicitando que fotos e informações pessoais expostas sejam excluídas já que poderiam tornar os indivíduos vulneráveis.

“O Talibã certamente sabe como usar a tecnologia. A única maneira sensata de abordar isso é presumir o pior e planejar para isso. Seria tolice pensar que não há risco”, disse o consultor sênior da Human Rights First, Brian Dooley. A organização de direitos humanos chegou a elaborar um manual de como excluir seu histórico on-line.

Leia também!

Facebook continua banindo postagens de apoio ao Talibã

O Facebook anunciou que segue a banindo publicações do Talibã e de usuários que apoiem o grupo. O comunicado vem após o regime voltar ao comando de Cabul, capital do Afeganistão, depois que as tropas dos Estados Unidos começaram a deixar o país. A rede social vai contar com o apoio de especialistas fluentes em idiomas afegãos.

A regra inclui também outras plataformas do grupo, como o WhatsApp e o Instagram. O mensageiro, inclusive, foi apontado como uma das formas de comunicação do Talibã, o que motivou a ação do Facebook em suas redes. Apesar de já possuir regras contra conteúdo extremista, a empresa deve direcionar seus esforços para a crise no Afeganistão nesse momento.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos