Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.561,00
    +0,77 (+0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Adultos acima dos 50 são mais resistentes a tomar vacinas, segundo estudo

Um estudo encomendado pela Kantar IBOPE Media em parceria com a farmacêutica GSK trouxe à tona que o público com mais de 50 anos nem sempre busca as vacinas disponíveis para se proteger contra doenças imunopreveníveis.

Para chegar a essa informação, os especialistas ouviram 9.902 adultos com mais de 50 anos, de países como Brasil, Reino Unido, Estados Unidos, Itália, Espanha, Alemanha, França, Canadá e Japão. Apesar desse ruído no que diz respeito às vacinas, existe uma preocupação dos entrevistados com a saúde: 81% deles declararam ter feito check-up de rotina nos últimos 5 anos. No Brasil, esse percentual foi ainda maior, e chegou a 89%.

Dentre os entrevistados, 88% receberam ao menos uma dose do imunizante contra a covid-19. Mas vale o alerta de que esse número cai substancialmente quando outras doenças são colocadas em jogo. Para se ter uma noção, somente 56% receberam a vacina da gripe alguma vez nos 5 anos anteriores.

Já em relação à vacina contra a pneumonia, a porcentagem dos entrevistados foi de apenas 14%. A do herpes zoster alcança um número ainda menor, de apenas 10%.

Adultos acima dos 50 nem sempre buscam as vacinas disponíveis, segundo estudo (Imagem: FabrikaPhoto/Envato)
Adultos acima dos 50 nem sempre buscam as vacinas disponíveis, segundo estudo (Imagem: FabrikaPhoto/Envato)

Segundo o artigo, 71% dos entrevistados consideram esses profissionais uma fonte-chave de informação. Por isso, a equipe também ouviu 685 profissionais de saúde nos mesmos países. Dentre esses profissionais, 72% afirmam que costumam dizer aos seus pacientes que eles estão na faixa etária recomendada para uma vacina.

O estudo também revela que 74% dos profissionais da saúde costumam dizer aos seus pacientes que, devido à idade, eles estão em risco aumentado de doenças infecciosas, mesmo que se sintam saudáveis. A conclusão do estudo é que a abordagem desses profissionais pode influenciar na adesão das vacinas disponíveis.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: