Mercado fechará em 4 h 16 min
  • BOVESPA

    108.415,20
    +2.119,02 (+1,99%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.808,22
    -81,44 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,89
    +1,13 (+1,35%)
     
  • OURO

    1.808,50
    +12,20 (+0,68%)
     
  • BTC-USD

    63.199,55
    +2.908,09 (+4,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.506,43
    +1.263,75 (+520,75%)
     
  • S&P500

    4.551,80
    +6,90 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    35.702,17
    +25,15 (+0,07%)
     
  • FTSE

    7.223,04
    +18,49 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.410,75
    +69,75 (+0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4984
    -0,0824 (-1,25%)
     

Adolescente que morreu após vacina de Covid sonhava ir para a Disney

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO — A adolescente I.B., de 16 anos, que faleceu oito dias depois de receber o imunizante da Pfizer contra a Covid, buscou a vacina porque se preparava para realizar o sonho de ir para a Disney. Nas redes sociais, professores e colegas fizeram homenagens à jovem moradora de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, que era tida como uma aluna estudiosa e amiga dedicada. A morte de I.B. é investigada pela Anvisa.

I.B. foi vacinada no dia 25 de agosto. No dia seguinte, apresentou reações como dor de cabeça, falta de ar e tontura. A mãe levou a jovem a um hospital de Santo André, também no ABC paulista, quatro dias depois. Ela se queixava de formigamento no corpo. Pouco antes de sair do hospital, liberada pelo médico, ela desmaiou. Quando foi transferida para um hospital em São Paulo, I.B. já estava com 30% de oxigenação e níveis baixos de hemácias e hemoglobina. Foi levada para a UTI, mas não resistiu e morreu no dia 2 de setembro. As informações são do “Diário do Grande ABC”, que conversou com a mãe da adolescente.

O atestado de óbito, diz o jornal do ABC paulista, indica que a jovem morreu de três possíveis causas: infarto agudo do miocárdio, choque cardiogênico e anemia severa. Segundo a mãe da jovem, ela não tinha comorbidades.

Nas redes sociais, a mãe de I.B. publicou fotos e vídeos de homenagens à filha, que sempre foi, diz, “reflexo de amor, alegria e fé”. A escola em que a adolescente estudava também lembrou que ela “sempre dedicou-se aos estudos, foi obediente, temente a Deus, honrou sua família, grande amiga, e cativou a todos nós com seu sorriso doce”. No post, o colégio acrescenta que “o que ficam são as lembranças para contar como sua vida foi e restam as saudades para lembrar a falta que ela fará”.

Na tarde desta sexta, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo afirmou que concluiu um diagnóstico de doença autoimune em I.B, e descartou que a vacina tenha sido a causa do óbito da jovem.

Segundo a pasta, a causa provável foi uma doença chamada “Púrpura Trombótica Trombocitopênica (PPT), uma doença rara e grave, “normalmente sem uma causa conhecida capaz de desencadeá-la, e não há como atribuir relação causal entre PTT e a vacina contra COVID-19 de RNA mensageiro, como é o caso da Pfizer”, disse a secretaria em nota.

Na quinta-feira, o Ministério da Saúde anunciou uma nova orientação sobre a vacinação de adolescentes e afirmou que jovens de 12 a 17 anos sem comorbidades não deveriam ser vacinados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos