Mercado abrirá em 5 h 38 min

Adobe Flash se despede de vez após 25 anos de animações e falhas de segurança

Natalie Rosa
·2 minuto de leitura

O fim do Adobe Flash já era premeditado há anos e, finalmente, o dia chegou. Há algumas semanas, a Adobe anunciou que encerraria o suporte ao Flash Player, recomendando que todos os usuários fizessem a desinstalação do programa o quanto antes, sob a justificativa de falha de segurança. E nesta terça-feira (12), a companhia tomou mais uma medida e passou a bloquear todo o conteúdo exibido em Flash.

O anúncio do fim foi divulgado no dia 2 de dezembro, antecipando o que estava por vir:

"Uma vez que a Adobe não irá mais suportar o Flash Player depois do dia 31 de dezembro de 2021 e a Adobe irá bloquear todo o conteúdo rodado em Flash a partir do dia 12 de janeiro de 2021, a Adobe recomenda fortemente que todos os usuários desinstalem o Flash imediatamente para ajudar a proteger seus sistemas. Alguns usuários podem continuar a ver lembretes da Adobe para desinstalar o Flash Player", dizia a nota.

<em>Imagem: Reprodução/Ars Technica</em>
Imagem: Reprodução/Ars Technica

Com o fim do Adobe Flash, também chega ao fim uma história de 25 anos do reprodutor de mídia, que foi apresentado ao público inicialmente pela empresa Macromedia, em 1996, sendo adquirida pela Adobe em 2005. A primeira vez em que a companhia anunciou que iria descontinuar o Flash foi em 2017, dizendo que outros padrões, como o HTML5, WebGL e WebAssembly, estavam evoluindo e que seriam alternativas mais evoluídas aos usuários.

A história do Flash é marcada por uma série de problemas com vulnerabilidades que colocaram em risco as máquinas de usuários de PC e Mac ao longo dos anos, fazendo com que a Apple e a Microsoft trabalhassem constantemente em correções de erros. Em 2010, o falecido cofundador da Apple, Steve Jobs, chegou a publicar uma carta aberta à Adobe criticando o software pela sua performance precária e falta de segurança.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: