Mercado abrirá em 2 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,70
    +0,65 (+1,00%)
     
  • OURO

    1.699,40
    +21,40 (+1,28%)
     
  • BTC-USD

    54.159,69
    +4.316,71 (+8,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.094,43
    +70,23 (+6,86%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.753,08
    +33,95 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    28.773,23
    +232,40 (+0,81%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.539,25
    +242,00 (+1,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9831
    +0,0233 (+0,33%)
     

Administração Biden luta por plano de ajuda à crise da Covid-19 de US$1,9 tri

Susan Cornwell e Patricia Zengerle
·2 minuto de leitura
U.S. President Biden speaks about economic recovery plans during coronavirus response event at the White House in Washington

Por Susan Cornwell e Patricia Zengerle

WASHINGTON (Reuters) - Autoridades do governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tentaram afastar preocupações dos republicanos de que sua proposta de alívio à pandemia de 1,9 trilhão de dólares é cara demais em uma ligação no domingo com parlamentares, alguns dos quais pressionaram por um plano menor, focado na distribuição de vacinas.

Parlamentares republicanos e democratas disseram que concordaram que levar a vacina da Covid-19 aos americanos deveria ser uma prioridade, mas alguns republicanos se opuseram a um pacote tão pesado apenas um mês depois que o Congresso aprovou uma medida de alívio de 900 bilhões de dólares.

"Parece prematuro considerar um pacote desse tamanho e escopo", disse a senadora republicana Susan Collins, que participou do call com Brian Deese, diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, e outros importantes assessores de Biden.

Collins disse concordar que financiamento adicional é necessário para a distribuição da vacina, mas em um projeto de lei "mais limitado", e planeja discutir tal medida com outros congressistas.

O senador Dick Durbin, o segundo democrata do Senado, disse que a ligação mostrou que o alívio do coronavírus era a principal prioridade de Biden.

"Não podemos esperar", disse a repórteres a vice-secretária de imprensa da principal da Casa Branca, Karine Jean-Pierre.

A Casa Branca não forneceu uma leitura da chamada, mas Jared Bernstein, membro do Conselho de Consultores Econômicos de Biden, disse à CNN depois que os 900 bilhões de dólares em alívio aprovados no final de 2020 só ajudariam por "um mês ou dois".

A pandemia da Covid-19 já matou mais de 417 mil americanos, tirou milhões do trabalho e está infectando mais de 175 mil americanos por dia.

Biden, que assumiu o cargo na quarta-feira, fez campanha com a promessa de tomar medidas agressivas contra a pandemia, que seu antecessor, o presidente Donald Trump, muitas vezes minimizou.

O governo Trump ficou muito aquém de sua meta de 20 milhões de americanos vacinados até o final de 2020 e não deixou nenhum plano para distribuir a vacina a milhões de americanos, disse o chefe de gabinete da Casa Branca, Ron Klain, no domingo.

Embora o Congresso já tenha autorizado 4 trilhões de dólares para responder à crise, a Casa Branca diz que 1,9 trilhão de dólares adicionais são necessários para cobrir os custos de resposta ao vírus e fornecer benefícios de desemprego e pagamentos aprimorados às famílias.

Pelo menos 16 senadores e dois deputados --o democrata Josh Gottheimer e o republicano Tom Reed-- participaram do call.