Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.856,02
    +327,05 (+0,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,03
    -1,64 (-2,62%)
     
  • OURO

    1.794,60
    +16,20 (+0,91%)
     
  • BTC-USD

    55.128,15
    -1.219,77 (-2,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.272,94
    +9,98 (+0,79%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.903,75
    +109,50 (+0,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7022
    -0,0003 (-0,00%)
     

ADM quer rastrear toda soja comprada do Brasil até 2022

Agnieszka de Sousa e Michael Hirtzer
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Archer-Daniels-Midland pretende rastrear até 2022 toda a soja comprada do Brasil, o maior exportador da commodity, em mais uma da série de promessas feitas pelas maiores operadoras de commodities agrícolas do mundo.

A empresa de Chicago, que representa a letra ‘A’ no quarteto de tradings agrícolas que dominam o mercado, disse que a mudança permitirá originar soja apenas em regiões que não foram desmatadas ou que não sofreram conversão de terras, disse o diretor financeiro Ray Young em evento virtual organizado pelo Financial Times.

Consumidores estão cada vez mais preocupados com o impacto social e ambiental do carrinho de compras e têm exigido mais informações sobre a procedência dos alimentos e se foram produzidos de forma ética. Tradings de soja estão sob pressão de empresas de alimentos e varejistas por sua contribuição para o desmatamento nas regiões do Cerrado e da Amazônia.

“Em 2022, teremos 100% de rastreabilidade em termos de toda a soja que compramos na América do Sul”, disse Young. “Poderemos originar apenas em regiões que não têm desmatamento ou conversão de terras” e influenciar a forma como a soja é plantada no Cerrado, afirmou.

A meta da ADM é para toda a soja comprada do Brasil, incluindo a que adquire de terceiros, disse Young. O compromisso tem um dos prazos mais ambiciosos do setor. A Cofco International, braço de trading da maior empresa de alimentos da China, prometeu rastreabilidade total até 2023, enquanto outras operadoras tentam medir o avanço de maneiras diferentes.

“Ao fazer isso como líder, na verdade incentivamos práticas sustentáveis de todos os agricultores da região”, disse sobre a meta. “Temos um papel significativo a desempenhar em termos de incentivo de práticas agrícolas sustentáveis no mundo.”

A ADM há anos tem reduzido o peso do comércio de commodities agrícolas a granel para a fabricação de alimentos com margens mais altas. A empresa espera que, até 2050, a unidade de nutrição, que inclui o segmento de proteínas à base de plantas, se torne tão grande ou até maior do que o tradicional negócio de compra e embarque de produtos agrícolas.

“Simplesmente não podemos contar com proteínas de origem animal no futuro”, disse o executivo, destacando a contribuição da pecuária para as emissões globais com o crescimento da população.

A ADM diz que agora é a maior fornecedora de proteína vegetal do mundo. A empresa também avança em proteínas à base de células e microbianas, bem como algas e insetos.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.