Mercado fechado

Adiar leilão de petróleo daria prejuízo de US$ 22 bi em custo de oportunidade, diz ministro

Rafael Bitencourt

Segundo Bento Albuquerque, mesmo com a desistência de duas grandes petroleiras, as expectativas têm sido as melhores O eventual adiamento do megaleilão dos barris de petróleo excedentes dos contratos de cessão onerosa causaria um prejuízo de US$ 22 bilhões em custo de oportunidade ao país, disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, durante café da manhã com jornalistas nesta terça-feira.

Segundo ele, mesmo com a desistência de duas grandes petroleiras, as expectativas têm sido as melhores. Como exemplo, ele citou que a negociação de duas áreas de interesse da Petrobras renderá bônus de assinatura de R$ 70 bilhões à União.

Se a estatal arrematar apenas duas áreas, já será maior do que todas licitações de petróleo já realizadas no Brasil.

O ministro confirmou ainda que combinou com o presidente Jair Bolsonaro que seria assinado ainda hoje o projeto de lei (PL) de capitalização da Eletrobras, que precisa ser enviado para o Congresso.