Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.487,88
    +651,11 (+2,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Acusado de charlatanismo, ‘Dr. Cloroquina’ é sancionado na França

·1 min de leitura

O médico e professor francês Didier Raoult, que ficou mundialmente conhecido como ‘Dr. Cloroquina’, foi alvo de uma sanção disciplinar da Ordem de Medicina. A instituição, que ameaçou banir o profissional, considera que ele infringiu o Código de Ética Médica ao promover o uso da hidroxicloroquina no tratamento contra a Covid-19, apesar de a eficácia do medicamento contra o coronavírus nunca ter sido provada.

O professor de 69 anos, que também dirige o Hospital Universitário (IHU) de Marselha, no sul da França, vinha sendo alvo de várias queixas de seus pares nos órgãos de controle da profissão, como a Ordem de Medicina e o Conselho Nacional da Ordem dos Médicos. Ele era acusado de ter promovido o uso da cloroquina para combater a Covid, “sem ter dados científicos” que provassem a utilidade do tratamento.

As declarações do médico influenciaram a política de luta contra o vírus em vários países no início da pandemia. No entanto, diversos estudos mostraram mais tarde que o uso da hidroxicloroquina não era adequado para combater o vírus, e poderia representar um risco para os pacientes.

Segundo o relatório apresentado pelo conselho de disciplina da Ordem de Medicina, a promoção da cloroquina feita por Raoult se assemelha a “charlatanismo”. O orgão afirma que o médico teria corrido “riscos imprudentes” ao prescrever um tratamento que “não foi validado pela ciência”.

Sanção branda


Leia mais

Leia também:
"Quando um presidente recomenda um medicamento que não serve, isso é um ato criminoso", afirma especialista da OMS
Na França, Didier Raoult, o 'Dr. Cloroquina', se envolve em nova polêmica

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos