Acordo de teto da dívida dos EUA é possível esta semana após negociações com Biden, diz líder republicano

Presidente dos EUA, Joe Biden, se reúne com líderes parlamentares no Salão Oval da Casa Branca, em Washington

Nandita Bose, David Morgan

WASHINGTON (Reuters) - As negociações do teto da dívida dos Estados Unidos com o presidente norte-americano, o democrata Joe Biden, e o principal parlamentar republicano do Congresso dos EUA, Kevin McCarthy, terminaram nesta terça-feira depois de menos de uma hora e o medo iminente de uma inadimplência sem precedentes da dívida norte-americana levou Biden a reduzir uma viagem que fará esta semana à Ásia.

Mas a reunião terminou em um tom de otimismo inesperado quando McCarthy, na saída da reunião com Biden e outros líderes do Congresso, disse: "É possível chegar a um acordo até o final da semana."

O presidente da Câmara dos Deputados, McCarthy, disse a repórteres que Biden está tentando chegar a um acordo sobre o teto da dívida até 1º de junho para suspender a ameaça de calamidade econômica.

"Temos muito trabalho a fazer em um curto período de tempo", disse McCarthy a repórteres, dizendo que a sessão de menos de uma hora preparou o terreno para conversas futuras.

Biden e McCarthy sentaram-se no Salão Oval com o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, o líder democrata na Câmara, Hakeem Jeffries, e o líder republicano no Senado, Mitch McConnell.

O presidente parte na quarta-feira para uma cúpula do G7 de três dias no Japão, mas uma fonte disse que Biden decidiu na terça-feira pular uma parada em Papau Nova Guiné e na Austrália depois.

Antes da reunião do Salão Oval, os assessores de Biden e McCarthy discutiram os requisitos para dois programas-chave que fornecem alimentos e ajuda em dinheiro às famílias, nas negociações da semana passada sobre o aumento do teto da dívida de 31,4 trilhões de dólares do governo para evitar um calote economicamente catastrófico.

Expandir os requisitos da discussão tem sido uma demanda importante dos republicanos, que também pressionam por cortes de gastos em troca de seus votos para aumentar o limite da dívida.

"Podemos aumentar o teto da dívida se limitarmos o que vamos gastar no futuro", disse McCarthy a repórteres.

As fontes, que falaram sob condição de anonimato para revelar detalhes sobre as negociações a portas fechadas, disseram que as discussões sobre requisitos de trabalho se concentram no Programa de Assistência Nutricional Suplementar e no programa de Assistência Temporária para Famílias Carentes.

"O presidente deixou claro que não aceitará propostas que retirem a cobertura de saúde das pessoas", disse o porta-voz da Casa Branca, Michael Kikukawa. "O presidente também deixou claro que não aceitará políticas que empurrem os norte-americanos para a pobreza. Ele avaliará quaisquer propostas que os republicanos tragam à mesa com base nesses princípios.