Mercado fechará em 2 h 43 min
  • BOVESPA

    123.035,46
    -2.639,87 (-2,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.098,45
    -536,15 (-1,04%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,02
    +0,40 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.818,50
    -17,30 (-0,94%)
     
  • BTC-USD

    39.029,34
    -810,12 (-2,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    926,67
    -23,23 (-2,45%)
     
  • S&P500

    4.400,46
    -18,69 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    34.965,84
    -118,69 (-0,34%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.975,75
    -62,00 (-0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1285
    +0,0880 (+1,46%)
     

Acordo para disponibilizar vacina Coronavac no SUS pode acontecer na quarta (16)

·3 minuto de leitura

Com a pandemia cada vez mais preocupante, uma luz no fim do túnel tem sido o desenvolvimento de candidatas a vacinas que possam ajudar na luta contra a COVID-19. Nesta terça (15), o governador de São Paulo João Doria (PSDB-SP), durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, anunciou confiança na oficialização de um acordo entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan para a disponibilização no SUS (Sistema Único de Saúde) da CoronaVac, vacina chinesa que tem sido testada em São Paulo. O próprio diretor do Butantan, Dimas Covas, chegou a contar que a formalização pode acontecer já na quarta-feira (16).

Durante a entrevista, Doria disse o seguinte: "Eu não vejo como o governo federal, sob qualquer alegação, possa dizer aos brasileiros que há brasileiros de primeira classe e de segunda classe, os que serão vacinados antes e os que serão vacinados depois. Eu duvido que o presidente da República (Jair Bolsonaro) tenha capacidade de dizer isso aos brasileiros. Tenho a convicção de que ele dirá que a vacinação será feita para todos".

Enquanto isso, Dimas Covas reiterou que restam apenas trâmites burocráticos para o fechamento do acordo entre o Butantan e o ministro interino da Saúde Eduardo Pazuello, que vem conversando com o governo paulista e a instituição ligada à gestão estadual: "A liberação de recursos depende de algum procedimento burocrático. Tem uma equipe do ministério e do Butantan que estão trabalhando desde a semana passada, e terça e quarta uma equipe do Butantan se descola para Brasília para terminar esse processo burocrático".

O diretor do Instituto Butantan completou que "a partir de quarta (16), quinta-feira (17)", formalmente todos os procedimentos estarão aptos a serem anunciados do ponto de vista de financiamento. Já na última quarta-feira (9), Covas confirmou que a ideia do Butantan é fornecer até 100 milhões de doses em abril do ano que vem. Com isso, a instituição vai investir na ampliação da sua fábrica em São Paulo, com R$ 97 milhões já arrecadados pelo governo paulista junto à iniciativa privada. A reforma começa em novembro e deve ser entregue no segundo semestre de 2022.

(Imagem: Jcomp/Freepik)
(Imagem: Jcomp/Freepik)

Vacina Coronavac

A vacina desenvolvida pelo laboratório chinês com o Instituto Butantan tem em sua fórmula o novo coronavírus inativado, ou seja, contém apenas fragmentos inativos desse vírus (não há chances de desencadear uma infecção). Com a aplicação das duas doses previstas, é esperado que o sistema imunológico de cada paciente comece a produzir anticorpos contra o vírus da COVID-19.

Vale lembrar que a fórmula desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butatan pode começar a ser distribuída, em massa e de forma gratuita, ainda em janeiro de 2021.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos