Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.464,06
    -916,43 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,95 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,70
    +0,09 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.846,90
    -4,00 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    32.205,15
    -362,46 (-1,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    649,57
    +2,25 (+0,35%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.654,01
    +15,16 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    28.691,39
    +145,21 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.552,25
    +66,75 (+0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5154
    +0,0046 (+0,07%)
     

Acordo EUA-Merck destaca necessidade de terapias para Covid-19

Riley Griffin
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O governo dos Estados Unidos fechou um acordo de US$ 356 milhões com a Merck & CO. para receber dezenas de milhares de doses de um tratamento experimental para casos graves de Covid-19. O contrato aumenta o arsenal de possíveis terapias justo quando uma campanha de imunização em massa está em andamento no país.

Sob o acordo, a Operação Warp Speed, programa que supervisiona terapias e vacinas contra o coronavírus, vai financiar a fabricação e garantir o fornecimento de 60 mil a 100 mil doses do medicamento MK-7110 até o final de junho.

A terapia intravenosa ainda não recebeu autorização de uso emergencial ou aprovação da FDA, que regula fármacos e alimentos nos EUA. Em estudo provisório, a terapia melhorou significativamente a probabilidade e a velocidade de recuperação de pacientes graves e críticos com Covid-19 que precisavam de oxigênio, reduzindo os riscos de insuficiência respiratória e morte em mais de 50%. As doses serão distribuídas assim que a FDA liberar o medicamento para uso.

Os EUA autorizaram e iniciaram a distribuição de duas vacinas contra o coronavírus, mas o aumento contínuo de casos destacou a necessidade de mais opções de tratamento. Os EUA registraram uma média de cerca de 214 mil novos casos diários nos últimos sete dias, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins. Na terça-feira, o país registrou mais de 3 mil mortes.

“Mesmo com as melhores vacinas, ainda vemos o surgimento de doenças”, disse o diretor de marketing da Merck, Michael Nally, em entrevista na terça-feira, antes de o acordo ser anunciado. A empresa, que também tem duas vacinas em desenvolvimento, acredita que a “terapêutica terá utilidade por muito tempo neste caso”, disse.

“No final das contas, haverá muitas pessoas desprotegidas até 2021 no mundo todo, e precisamos de outras intervenções para aliviar a dor e o sofrimento desta pandemia”, disse Nally.

A Bloomberg havia informado sobre as negociações dos EUA com a Merck em 9 de dezembro.

A Merck incluiu o MK-7110 em seu portfólio com a aquisição em novembro da empresa de biotecnologia de capital fechado OncoImmune, por US$ 425 milhões. A OncoImmune, com sede em Rockville, Maryland, desenvolveu o medicamento para tratar doenças autoimunes e inflamação.

A Merck investe para expandir a capacidade de produção e aumentar o fornecimento do MK-7110, disse Nally, dentro da empresa e com ajuda externa. Ele disse que o tratamento é complexo e difícil de produzir em grande escala.

A Merck também desenvolve uma terapia antiviral com pílulas para pacientes de Covid-19 em estágios iniciais da doença. Chamado de molnupiravir, o medicamento foi descoberto por cientistas da Universidade Emory e está sob testes em estágio final.

A Merck e a parceira Ridgeback Biotherapeutics esperam divulgar dados no início do próximo ano e solicitar autorização regulatória logo em seguida, disse Nally.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.