Mercado abrirá em 4 h 37 min

Acordo entre Samsung e Huawei para burlar sanções dos EUA é improvável, diz site

Rubens Eishima

Apontada como alternativa para contornar as restrições econômicas impostas pelos Estados Unidos, a parceria da Huawei com a Samsung para a fabricação de chips é improvável, publicou o site taiwanês DigiTimes.

A informação surgiu dois dias após a publicação de um artigo pelo site AsiaTimes listando as oportunidades disponíveis para a empresa chinesa, proibida de comprar processadores fabricados com tecnologias norte-americanas pela taiwanesa TSMC, líder mundial na produção de chips para terceiros.

A Samsung teria montado uma fábrica para seu processo de produção de 7 nanômetros utilizando apenas equipamentos japoneses e europeus, o que teoricamente não violaria as novas regras impostas pelo governo de Donald Trump em maio deste ano.

Entre os principais clientes da Samsung Foundry estão a Nvidia, Qualcomm e IBM (imagem: Samsung)

Avaliando as possibilidades

O boato de que a Samsung Foundry – subsidiária do grupo sul-coreano para fabricação de chips – fecharia uma parceria com a Huawei foi avaliado como improvável por analistas consultados pelo DigiTimes.

Apesar do potencial de tomar o segundo maior cliente da rival TSMC, construir uma fábrica para produção de chips é caro e demorado. A própria TSMC anunciou, pouco tempo após a divulgação das sanções dos EUA contra a Huawei, que construiria a partir de 2021 uma linha de produção nos Estados Unidos, ao custo de US$ 12 bilhões e previsão de funcionamento para 2024.

Outro problema é que uma eventual parceria entre Huawei/HiSilicon e Samsung Foundry poderia prejudicar a Samsung Electronics, braço do grupo sul-coreano que vende os celulares da linha Galaxy. A rivalidade entre as empresas ganhou um novo capítulo em abril, quando a Huawei vendeu mais celulares do que a Samsung, interrompendo anos de liderança dos sul-coreanos.

Cliente de peso

A Huawei foi a segunda maior compradora da TSMC em 2019, atrás apenas da Apple – que utiliza os serviços da taiwanesa para produzir os chips usados nos iPhones, iPads e supostamente nos MacBooks com sua própria CPU.

A lista de empresas que fabricam seus processadores com a TSMC inclui ainda a AMD (Ryzen, Radeon), Nvidia (GeForce), Qualcomm (Snapdragon) e MediaTek, além da Sony e Microsoft, com as CPUs usadas no PlayStation 4 e Xbox One.


Fonte: Canaltech