Mercado fechará em 1 h 3 min

Acordo entre Apple e Qualcomm fica cada vez mais distante e acusações continuam

Rafael Arbulu

Stephen Mollenkopf, CEO da Qualcomm, disse em novembro de 2018 acreditar que um acordo amigável com a Apple estava “à sua porta” de tão perto, mas talvez ele tenha se esquecido de contar isso a Tim Cook. Em entrevista concedida ao programa Mad Money with Jim Cramer, o CEO da Apple fez novas acusações contra a fabricante de chipsets para smartphones e afastou possibilidades de um ajuste de contas sem grandes brigas com a empresa.

“O nosso problema com a Qualcomm é que eles têm essa política de ‘sem licença, sem chips’. Isso é, em nossa percepção, ilegal”, disse Cook na entrevista. “Além disso, eles têm a obrigação de oferecer seu portfólio de patentes de forma justa, razoável e não discriminatória e eles não o fazem. Eles cobram preços exorbitantes”.

O CEO da Apple, Tim Cook, afastou possibilidades de reconciliação com a Qualcomm em entrevista, inclusive tecendo novas acusações à fabricante de chipsets

Tim Cook também se mostrou infeliz com supostas práticas de subterfúgios do departamento de marketing da Qualcomm, a qual o CEO reforçou uma acusação de que a empresa contratou a agência de Relações Públicas chamada Definers para criar e espalhar informações falsas e derrogatórias sobre a Apple no mercado, por meio de notícias encomendadas na imprensa. A Definers é a mesma agência contratada pelo Facebook para criar desinformações sobre canais opositores à rede social e ao filantropo e investidor George Soros, conforme o Canaltech noticiou em novembro de 2018.

“O ato de pagar alguém para escrever fake news e promovê-las: esse tipo de coisa deveria estar abaixo de uma empresa. Não é assim que as coisas deveriam operar”, disse Cook.

Sobre a possibilidade de um acordo amigável e a eventual retomada de relações comerciais — algo que a Qualcomm já disse esperar em diversas ocasiões —, Tim Cook mostrou-se bem negativo à ideia: “Nós não entramos em nenhuma discussão sobre acordo com eles desde o terceiro trimestre fiscal do ano passado. Eu não tenho ideia de onde vem esse pensamento”.

Stephen Mollenkopf, CEO da Qualcomm, acredita que sua batalha judicial com a Apple está perto de um acordo amigável, embora a Apple negue tal possibilidade

A Qualcomm também assistiu à entrevista de Cook e emitiu alguns comentários. Um porta-voz da fabricante de chipsets disse que “Cook está, mais uma vez, agindo de forma enganosa no que parece ser uma tentativa de aproveitar o timing para manchar a reputação de nossa empresa”. O porta-voz não foi específico quanto ao “timing”, mas é possível deduzir que ele se referiu à participação da empresa na CES 2019, que ainda ocorre em Las Vegas e onde a Qualcomm fez diversos anúncios.

“Temos sidos consistentemente claros em mostrar que, em várias ocasiões nos últimos 18 meses, nós tivemos discussões com a Apple sobre uma possível resolução para a nossa disputa sobre licenciamento”, continuou o porta-voz. A Apple e a Qualcomm já vêm, há anos, travando uma batalha judicial relacionada às patentes de uso dos chipsets da empresa nos aparelhos da Maçã, chegando ao ponto de a Qualcomm conseguir injunções judiciais e impedir a venda de certos modelos do iPhone na China e na Alemanha.

Stephen Mollenkopf também disse a investidores, durante uma conferência em julho do ano passado, que a empresa estava em conversas com a Apple, uma informação que bate com o período baseado na conversa de Tim Cook com o veículo, adicionando credibilidade às afirmações da fabricante de chipsets.

Fonte: Canaltech