Mercado fechará em 22 mins
  • BOVESPA

    127.822,05
    -1.437,45 (-1,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.131,74
    -447,36 (-0,88%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,14
    -1,01 (-1,40%)
     
  • OURO

    1.778,50
    -82,90 (-4,45%)
     
  • BTC-USD

    37.820,83
    -1.067,39 (-2,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    939,00
    -30,87 (-3,18%)
     
  • S&P500

    4.229,49
    +5,79 (+0,14%)
     
  • DOW JONES

    33.896,66
    -137,01 (-0,40%)
     
  • FTSE

    7.153,43
    -31,52 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.558,59
    +121,75 (+0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.018,33
    -272,68 (-0,93%)
     
  • NASDAQ

    14.188,75
    +207,50 (+1,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9823
    -0,0797 (-1,31%)
     

Ações de MMX de Eike Batista colapsam após falência

·1 minuto de leitura
  • Declaração de falência fizeram despencar ações da MMX.

  • Empresa mineradora é do empresário Eike Batista.

  • Ações chegaram a cair 27%.

As ações da mineradora MMX, do empresário brasileiro Eike Batista, despencaram 27,02% depois da notícia de que a justiça declarou falência das empresas que a compõem. As informações são de reportagem do Globo.

Leia também:

A empresa está em recuperação judicial desde 2016, e integra o grupo EBX, também de Eike.

De acordo com o texto do Globo, foram decretadas as falências da MMX Mineração e Metálicos e da MMX Corumbá Mineração, na tarde desta quarta-feira (19).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Multado em R$ 150 mil por ‘jogar contra’ minoritários

Em março deste ano, Batista, condenado por praticar irregularidades na gestão de suas empresas e no mercado financeiro, foi multado pela Comissão de Valores Imobiliários (CVM).

Desta vez, a multa foi no valor de R$ 150 mil, por conta de uma situação de conflito de interesses que prejudicou acionistas minoritários de sua mineradora MMX.

O caso ocorreu em 2015, segundo reportagem da Exame. O processo foi instaurado na CVM a partir de reclamação de um minoritário.

Conflito de interesse

Na situação, Eike atuava como presidente do conselho e principal acionista da MMX, quando a empresa firmou um contrato de fornecimento de energia com a MPX Energia, que também tinha Eike como um dos principais acionistas.

Mas segundo o minoritário, o acordo não foi no melhor interesse da MMX, já que havia ganhos potenciais acima de R$ 1 bilhão. O acordo de compensação firmado com a MPX foi de “apenas” R$ 40 milhões.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos