Mercado fechará em 6 h 52 min
  • BOVESPA

    119.564,44
    0,00 (0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.399,80
    +71,60 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,38
    -0,25 (-0,38%)
     
  • OURO

    1.795,00
    +10,70 (+0,60%)
     
  • BTC-USD

    57.565,65
    +1.851,01 (+3,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.479,62
    +74,31 (+5,29%)
     
  • S&P500

    4.167,59
    +2,93 (+0,07%)
     
  • DOW JONES

    34.230,34
    +97,34 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.049,64
    +10,34 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.481,25
    -9,75 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4041
    -0,0228 (-0,35%)
     

Acionistas da Petrobras aprovam destituição de Castello Branco da presidência

NICOLA PAMPLONA
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  20-11-2018 - O futuro presidente da Petrobras Roberto Castello Branco. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 20-11-2018 - O futuro presidente da Petrobras Roberto Castello Branco. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Acionistas aprovaram na tarde desta segunda (12) a destituição de Roberto Castello Branco do conselho de administração da Petrobras e, como consequência, da presidência da companhia. A proposta teve 58,28% dos votos favoráveis em assembleia de acionistas da estatal.

A destituição, que é criticada pelo mercado, teve apoio do BNDESPar, o braço de participações societárias do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Detentores de 21,88% das ações votaram contra, enquanto donos de outras 10,84% se abstiveram.

Castello Branco será substituído pelo general Joaquim Silva e Luna, que presidia Itaipu Binacional, em processo que gerou no mercado temores de interferências políticas na gestão da Petrobras. Ainda nesta tarde, os acionistas elegerão oito membros do conselho de administração da companhia.

Na eleição, acionistas minoritários tentam emplacar representantes em cadeiras que eram ocupadas por representantes da União, em uma ofensiva para tentar limitar o poder do governo na empresa. Ao todo, quatro candidatos indicados pelos investidores privados estão na disputa.