Mercado abrirá em 1 h 46 min

Acionistas acusam Netflix de mentir sobre queda no número de assinantes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Netflix está sendo acusada por acionistas de mentir sobre a queda no número de assinantes, registrada em abril deste ano pela primeira vez em mais de uma década. Um processo aberto nesta semana em um tribunal de São Francisco, nos Estados Unidos, afirma que a companhia fez declarações falsas ou enganosas sobre previsões futuras, além de ter falhado em divulgar previsões negativas sobre seus negócios e operações.

A ação foi realizada em nome de todos os acionistas da empresa entre outubro de 2021 e abril deste ano. A alegação é de que a gestão da Netflix teria acesso a informações que não seriam públicas, mas que poderiam prever a queda no número de assinantes, principalmente nos EUA.

Os documentos apontam uma queda de 67% nos valores das ações do serviço de streaming a partir de novembro, que gerou perda de valores para os donos de papéis da companhia.

Responsáveis pela ação alegam que Netflix ocultou informações que poderiam indicar resultados ruins (Imagem: Sayan Ghosh/Unsplash)
Responsáveis pela ação alegam que Netflix ocultou informações que poderiam indicar resultados ruins (Imagem: Sayan Ghosh/Unsplash)

Entre as informações que os reclamantes afirmam ter sido ocultadas de investidores no final de 2021 estaria o aumento do valor das assinaturas nos EUA e Canadá, um fator que, de acordo com a própria Netflix, contribuiu para a saída de 600 mil assinantes. O uso de contas compartilhadas pelos clientes globais também seria um fator conhecido e citado no relatório da empresa publicado em abril, quando anunciou uma perda total de 200 mil membros.

De posse de tais informações, o processo aponta que os executivos da empresa agiram de forma direta para omitir fatos e divulgar alegações incorretas sobre o prospecto da empresa. A ação fala em restituição de prejuízos aos acionistas, mas não especifica os valores que os reclamantes desejam ver ressarcidos.

Primeira queda de assinantes em 10 anos

Foram diversos os motivos apontados pela Netflix para a baixa no número de membros durante o primeiro trimestre de 2022. Além dos já citados, a companhia também suspendeu seus serviços na Rússia, em retaliação à invasão da Ucrânia pelo país e, só aí, perdeu 700 mil assinantes. O retorno às atividades no período pós-vacina da covid-19 também foi citado como um elemento global que levou à diminuição.

Por outro lado, o crescimento regional, principalmente fora da América do Norte, levou o número negativo final a 200 mil pessoas, enquanto a perspectiva era de crescimento de 2,5 milhões de assinaturas. Apesar de parecer alto, o número já equivalia a menos da metade do que foi obtido no mesmo período de 2021.

A Netflix não se pronunciou oficialmente sobre o processo aberto na justiça dos Estados Unidos. Enquanto isso, a empresa prevê, em seu relatório financeiro, uma nova baixa para o trimestre atual, enquanto trabalha na monetização de contas compartilhadas como forma de recuperar um pouco do dinheiro perdido com essa prática.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos