Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    -0,47 (-0,65%)
     
  • OURO

    1.751,70
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    47.247,76
    -613,72 (-1,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.182,78
    -42,75 (-3,49%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.328,89
    -591,87 (-2,38%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.298,00
    -28,00 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1911
    -0,0083 (-0,13%)
     

Acionista de empresa de máquina agrícola pagou ônibus para manifestantes bolsonaristas

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dos acionistas da fabricante de máquinas agrícolas Jacto, localizada no município de Pompeia (SP), pagou pelo transporte de ônibus de manifestantes da região para o ato bolsonarista realizado na capital paulista na terça (7).

Em nota, a empresa diz que a ação foi organizada por Takashi Nishimura, ​que usou recursos próprios para bancar a excursão. Segundo a Jacto, o empresário não tem participação nem influência na administração das companhias do grupo.

"A Jacto reforça mais uma vez que tem em seu código de conduta não apoiar candidatos ou partidos políticos de nenhuma corrente doutrinária, seja na esfera federal, estadual ou municipal", afirmou a empresa.

O caso envolvendo o nome da Jacto e os protestos em apoio a Bolsonaro começou no fim de agosto, quando circulou no WhatsApp uma mensagem com o alerta "encaminhada com frequência", afirmando que a própria empresa bancaria o transporte às manifestações.

Como antecipou o jornal Folha de S.Paulo, o texto dizia que os interessados deveriam entrar em contato com a Jacto e que quatro ônibus já estavam reservados. A empresa também negava participação na ocasião.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos