Mercado fechará em 5 h 27 min

Acima de 65: influencers espalham simpatia ao falar sobre envelhecimento

Nathan Vieira

Os idosos representam o grupo que mais aumentou percentualmente entre os novos usuários da web nos últimos tempos, de acordo com um estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): dentre os 10 milhões de novos usuários de internet, 23% tinham 60 anos ou mais. O percentual de idosos acessando a internet em relação ao total de internautas era de 24,7%, e saltou para 31,1% em um ano, uma variação de 25,9%. Este público, cada vez mais adepto às tecnologias, tem sido representado na internet por influencers que utilizam o espaço para mostrar detalhes do envelhecimento.

O Canaltech conversou com as Avós da Razão, que alimentam um canal no YouTube desde setembro de 2018, e já acumulam mais de 725 mil visualizações em seus 108 vídeos. Basicamente, o grupo é composto por Sônia, de 82 anos, Gilda, de 78 e Helena, de 91. Como as três mesmo afirmam, a ideia do canal é falar sobre a vida, trazer à tona questões de vários assuntos diferentes, mas principalmente abordar com naturalidade o envelhecimento, trazendo temas como a vida sexual após os 60, por exemplo.

A ideia por trás do canal é não apenas dar voz ao público com mais de 60 anos, como também inspirar essas pessoas a correr atrás dos seus sonhos. As três amigas se conhecem há mais de 50 anos, e se destacam nas redes principalmente pelas opiniões muito a frente do seu tempo. Com um senso de humor ácido e inteligente, as avós respondem dúvidas e opinam sobre diversos assuntos, por mais polêmicos que sejam. "Decidimos montar esse canal para trazer a representatividade para o velho, inspirá-los e derrubar os preconceitos estabelecidos quando se trata de envelhecer no Brasil", contam.

Cada uma delas tem uma história de vida digna de um livro: Sônia nasceu em São Paulo e suas experiências de vida começaram muito cedo, pois foi mãe aos 16 anos, teve uma gravidez precoce e por não se entender com sua mãe extremamente controladora, casou-se e foi morar em uma fazenda em Limeira, interior de SP, com o marido 12 anos mais velho. Depois de 17 anos de casada, tomou a decisão de se separar, conheceu o seu segundo marido e resolveu morar com ele. Aos 60, resolveu novamente se separar e tocar sua vida sozinha.

Gilda, por sua vez, foi casada com um advogado que defendia presos políticos durante a ditadura, época que viveu sempre com medo do marido não voltar. Depois de 16 anos casada, separou-se e aos 39 anos foi morar em Paris, onde fez cursos de desenho e figurino. Chegou a fazer parte de um grupo de teatro chamado O Bando, do dramaturgo Plinio Marcos. Com 43 anos, passou a trabalhar como figurinista em uma emissora de TV, onde ficou até se aposentar, aos 65 anos. Mas Gilda não parou de criar e produzir, é claro.

Já Helena, a mais velha da turma, nasceu em Bebedouro em uma família muito tradicional. Estudou em internatos de freiras e seu sonho sempre foi ir para São Paulo. Em uma época que só se saia de casa casada, Helena deu seu grito de liberdade e em 1950 veio para São Paulo morar sozinha. Teve que ter muita coragem para romper com todas as tradições e a família. Trabalhou nos estúdios Vera Cruz, onde conheceu e ficou amiga de Dercy Gonçalves. Casou três vezes, e hoje mora sozinha em um apartamento em São Paulo sem cachorro, sem gato e afirma que continua sendo a mesma menina que saiu de Bebedouro há 70 anos atrás.

"Nós somos três amigas de longa data, e sempre costumamos nos encontrar de preferência num boteco, num lugar descontraído para conversar, trocar ideia. Nossa diretora, Cássia Camargo, fazendo parte algumas vezes desses encontros, achou que poderíamos fazer alguma coisa na internet, nas redes, e começamos a gravar vídeos em que nós respondemos perguntas do público", conta Sônia.

Idosos e tecnologia

Questionada sobre os desafios de ser uma influencer dessa faixa etária, Sônia admite: "O maior desafio é primeiramente aprender a lidar com a tecnologia, que na verdade nós ainda não tínhamos muita prática". Ela ainda acrescenta: "Mas tirando isso, para responder às perguntas que recebemos, o importante mesmo é ter sinceridade nas respostas, responder sem puritanismo. E em qualquer idade, para você ser YouTuber, tem que ter essa postura. Os nossos seguidores, velhos, jovens, sempre se referem a essa época de quarentena e como isso os distrai. Essa leveza, esse humor... faz bem para eles".

Gilda concorda com o desafio apresentado por Sônia, e ressalta que a situação tem exigido ainda mais. "Acho que o maior desafio foi a tecnologia, porque tivemos que nos reinventar, principalmente agora na pandemia. Estamos gravando cada uma na sua casa e tivemos que aprender a mexer em um monte de aplicativos que não fazíamos ideia que existiam", conta. No entanto, ressalta que a melhor parte disso tudo é estar produzindo nessa idade.


Para Helena, o maior desafio foi a quantidade de novos aprendizados. "No começo só sabíamos mexer no WhatsApp. Aliás, eu nem isso (risos), e tivemos que descobrir um montão de coisas que nem imaginávamos. A melhor parte é ver que conseguimos e que agora estamos trabalhando e produzindo nessa idade. E ficamos famosas!", aponta a youtuber.

Sônia acredita que o público com mais de 60 anos tem abraçado mais a tecnologia por não haver outro remédio. "Quase tudo hoje em dia depende, principalmente agora na quarentena, que você precisa ficar em casa, receber suas compras, fazer o banco, comprar remédio na farmácia... tudo através da tecnologia. E até para você se consultar no seu plano de saúde também é através da tecnologia, porque não é para você ir para um hospital se você está se sentindo gripada. Você tem uma prévia consulta, um médico vai atender você pela internet, para depois ele dizer o que você deve fazer", opina.

"Com quarentena ou sem, é necessário que o velho aprenda a mexer com a tecnologia. Achamos que estamos dando um exemplo aos velhos, para eles participarem mais da vida, saberem que eles existem, que eles têm voz, que eles têm que se expôr mais", Sônia acrescenta.

Conteúdo para todos

O conteúdo do canal das três senhoras, apesar de atrair uma maioria de pessoas da mesma faixa etárias, tem assunto para todos os públicos. As avós da razão afirmam que, apesar de ser a maior parte da audiência do canal (uma vez que 61,9% dos seguidores têm a partir de 65 anos), elas criam conteúdo para todo mundo. "Na verdade nós achamos que o velho acompanha qualquer conteúdo. O velho não é um bobo. Ele pode gostar ou não gostar, mas não existe um conteúdo para velho. Nós fazemos conteúdo para jovens, velhos, homens, mulheres, para todo tipo de pessoa que esteja a fim de nos ouvir", aponta Sônia.

Helena também percebeu a mudança no público do canal: "No começo do canal, nossos seguidores eram jovens. Agora, aumentou muito o número de velhos e eles sempre comentam 'que bacana, eu sou assim também' ou 'vou começar a usar all star pq a Sônia usa, sempre adorei e achei que estava velha para usar' e outras que discordam das nossas opiniões, mas aí nem ligamos".

Gira Regina

E nem só de Avós da Razão vive a representatividade dos idosos! A atriz Regina Vogue, de 75 anos, tem mais de 50 anos de carreira e é referência em teatro para crianças. Por seus espetáculos passaram talentos que hoje ganharam projeção nacional, com Guta Stresser, Alexandre Nero, Fabiula Nascimento, Daphne Bozaski e Simone Spoladore. Em 2004, abriu seu próprio teatro, o Teatro Regina Vogue, no Shopping Estação, um dos principais espaços culturais de Curitiba.

No entanto, Regina embarcou em um novo projeto: um canal no YouTube, chamado Gira Regina. O canal conta com episódios semanais com temas abertos, a serem definidos durante o processo de produção. Nos episódios estarão temas como solidão, sexo, vivências da infância. Em entrevista ao Canaltech, a YouTuber já chegou a falar um pouco sobre a relação entre a terceira idade e a tecnologia.

Sou 60

O canal Sou 60 também traz um conteúdo que gira em torno não apenas do envelhecimento e dos assuntos que tangem essa temática, como também vários outros pontos de diferentes fases da vida. O canal já existe desde 2015 e traz depoimentos e entrevistas com pessoas dessa faixa etária. Desde a sua criação até então, já contou com quase 5 milhões de visualizações. "O envelhecimento abordado de forma aberta e corajosa, com seriedade e otimismo", consta na descrição do canal.

Silvio Matos

E não dá para falar de influencers da terceira idade sem mencionar ele, que conquistou a internet ao participar dos vídeos do canal Parafernalha. O ator Silvio Matos tem seu próprio canal no YouTube, onde também aborda diversos temas: "Neste canal você vai encontrar vídeos sobre temas variados, desde vídeos de humor e poesias até histórias, contos e fábulas, orações e também videos de trabalhos em que participei em Teatro,TV e Cinema, ou seja é um canal com conteúdo variados pra todos os gostos", aponta a descrição do canal, que já ostenta mais de 24 milhões de visualizações.

Silvio aprende e ensina, ao lado de Adriano, analista do CT, para o Vovô Tech 

Além de ter seu próprio canal, Silvio também conduz o Vovô Tech, curso de tecnologia para idosos que o Canaltech oferece — e que está em promoção com aulas gratuitas, em sua versão Pocket!

Conheça mais sobre Silvio e seu canal:


Fonte: Canaltech