Mercado abrirá em 7 h 30 min
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,43
    -1,07 (-1,36%)
     
  • OURO

    1.631,90
    -4,30 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    18.731,38
    -1.281,87 (-6,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    428,69
    -30,44 (-6,63%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.984,59
    -36,36 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    17.352,59
    -507,72 (-2,84%)
     
  • NIKKEI

    25.987,97
    -583,90 (-2,20%)
     
  • NASDAQ

    11.222,50
    -111,25 (-0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1400
    -0,0199 (-0,39%)
     

Acervo de arte de fundador da Microsoft vai à venda por R$ 5 bi em leilão histórico

Paul Allen faleceu em 2018, aos 65 anos. Acervo conta com 150 obras de arte, com até 500 anos (AFP)
Paul Allen faleceu em 2018, aos 65 anos. Acervo conta com 150 obras de arte, com até 500 anos

(AFP)

  • Coleção de arte de Paul Allen, cofundador da Microsoft, vão a venda por mais de R$ 5 bilhões;

  • Leilão organizado pela Christie's promete ser histórico;

  • Todo o lucro será revertido para a caridade.

Com obras de artistas renomados, a coleção de arte de Paul Allen, falecido cofundador da Microsoft, será vendida no possível maior leilão de arte da história. As 150 peças, com até 500 anos, são avaliadas em US$ 1 bilhão (R$ 5,11 bilhões).

Segundo a casa de leilões Christie’s, todos os lucros serão destinados a instituições de caridade, como desejava o empresário, ainda em vida. O evento está previsto para acontecer em novembro deste ano.

Dentre os quadros que fazem parte da coleção de Allen, está La Montagne Sainte-Victoire, do pintor francês Paul Cézanne (1839-1906), avaliado em mais de US$ 100 milhões (R$ 511 milhões). Há também obras de Botticelli (1445-1510), Renoir (1841-1919), David Hockney e Roy Lichtenstein (1923-1997).

"A figura inspiradora de Paul Allen, a extraordinária qualidade e diversidade das obras e a dedicação de todos os lucros à filantropia criam uma combinação única que fará da venda da coleção de Paul G Allen um evento de magnitude sem precedentes", afirmou o CEO da Christie’s, Guillaume Cerutti.

Segundo a irmã do bilionário, Jody Allen, a coleção "reflete a diversidade de seus interesses, com seu próprio misticismo e beleza". Ela também é inventariante do espólio.

Em 1975, Paul Allen fundou a Microsoft com seu amigo de infância, Bill Gates. Ele morreu em 2018, aos 65 anos, em decorrência de complicações de um linfoma não-Hodgkin, que surgiu em 2009 e voltou naquele ano.

Em 2010, ele prometeu deixar a maior parte de sua fortuna para a caridade após sua morte. Ele era, na época, o 37º homem mais rico do mundo, segundo a revista Forbes, com cerca de US$ 13,5 bilhões. As informações são da BBC.