Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.546,64
    +868,88 (+2,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Abril oferece revista Veja como garantia de pagamento de dívida

·1 minuto de leitura
Veja foi uma das publicações da Abril dadas como garantia para pagamento de dívida
Veja foi uma das publicações da Abril dadas como garantia para pagamento de dívida

A Abril Comunicações assinou um acordo de renegociação de dívidas com o governo federal e ofereceu como garantia algumas de suas revistas como Veja, Quatro Rodas, Capricho e Você S/A.

Leia também:

O grupo de mídia, que está em processo de recuperação judicial, tem uma dívida que envolve R$ 830 milhões em passivo. A transação dará à Abril até 70% de desconto sobre o total devido.

No acordo assinado entre a Abril e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), as parcelas se iniciam em valores baixos, partindo de 0,24% do total da dívida por mês. Estipula ainda que a Abril desista de ações administrativas e judiciais que questionem os créditos.

O governo e o grupo de comunicação não informaram o montante que deverá ser pago, no entanto, em 2018, a Abril já havia entrado com um pedido de recuperação judicial e a dívida total na época era de R$ 1,6 bilhão.

Partes desse plano de recuperação incluíram ainda a venda da revista Exame ao BTG Pactual por R$ 72 milhões e o leilão dos prédios que compunham a sede da Abril na Marginal Tietê, em São Paulo, arrematados por R$ 118,8 milhões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos