'Abismo fiscal' deve pressionar bolsas de NY para baixo

Os índices futuros das bolsas de Nova York apontam para uma abertura em baixa nesta sexta-feira, ampliando as perdas dos dois últimos pregões, em meio a preocupações cada vez maiores com a crise financeira da Grécia e com o chamado "abismo fiscal" dos Estados Unidos. Às 12h15 (pelo horário de Brasília), o Dow Jones futuro caía 0,43%, enquanto Nasdaq recuava 0,09% e S&P 500 cedia 0,36%.

Os investidores têm mostrado nervosismo com o abismo fiscal, como é conhecida uma combinação de profundos cortes de gastos e o vencimento de incentivos fiscais da época do governo Bush, que entrará em vigor no dia 1º de janeiro e ameaça arrastar os EUA de volta à recessão, se o Congresso norte-americano não fechar um acordo orçamentário até o fim do ano.

Os últimos dados dos custos das importações dos EUA, que subiram pelo terceiro mês seguido em outubro, também pesam em Wall Street nesta sexta-feira. Economistas previam que o indicador viria estável. Nesta sexta-feira, sairão ainda o índice de sentimento do consumidor norte-americano deste mês, medido pela Reuters/Universidade de Michigan, e as vendas no atacado dos EUA, referentes a setembro.

A pressão sentida em Nova York vem também da Europa, onde os mercados acionários recuam consideravelmente devido a incertezas quanto ao futuro da Grécia e notícias desfavoráveis da França, que deixaram os investidores locais na defensiva.

O Parlamento grego se reúne no domingo (11) para votar o orçamento do país, um dia antes de uma reunião de ministros das Finanças da zona do euro. A dúvida é se a Grécia conseguirá garantir o desembolso do próximo empréstimo de seu pacote de ajuda.

Além disso, O Banco da França divulgou nesta sexta-feira uma pesquisa prevendo que a economia francesa vai entrar em recessão no fim de 2012, projetando uma contração de 0,1% do PIB do país no quarto trimestre do ano.

No pré-mercado em Nova York, a Walt Disney, que integra o índice Dow Jones, caía 3% depois de anunciar receita menor do que se previa para o quarto trimestre fiscal. Já o site de compras coletivas Groupon despencava 17% antes da abertura, também por causa do último balanço trimestral, que não agradou os investidores. A J.C. Penney, por sua vez, cedia 6,6%, após anunciar um prejuízo trimestral bem maior do que o esperado. As informações são da Dow Jones.

Carregando...