Mercado abrirá em 5 h 58 min
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,56
    +1,06 (+1,72%)
     
  • OURO

    1.752,50
    +23,70 (+1,37%)
     
  • BTC-USD

    45.947,26
    +998,56 (+2,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    917,79
    -15,35 (-1,65%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    29.401,27
    +421,06 (+1,45%)
     
  • NIKKEI

    29.663,50
    +697,49 (+2,41%)
     
  • NASDAQ

    13.066,75
    +155,75 (+1,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7612
    +0,0029 (+0,04%)
     

Abiove mantém exportação de soja do Brasil no ano e vê melhora no fluxo após atraso

Roberto Samora
·3 minuto de leitura

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil deverá exportar 83 milhões de toneladas de soja em 2021, estimou nesta sexta-feira a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), que manteve a projeção de embarques apesar de um atraso inicial da colheita do maior produtor e exportador global.

O volume ficaria praticamente estável ao embarcado em 2020 e levemente abaixo do recorde de 83,26 milhões de toneladas registrado em 2018.

"Vai escoar com tranquilidade, a capacidade nossa portuária é suficiente para atender tudo isso (previsão para o ano). As empresas têm toda a programação de escoamento, com contratação ferroviária, rodoviária e hidroviária", disse o economista-chefe da Abiove, Daniel Furlan Amaral, ao ser questionado pela Reuters se o atraso interferiria na programação anual.

O Brasil terminou janeiro com um percentual ínfimo de colheita, após um atraso inicial no plantio e chuvas recentes, o que preocupou aqueles com programação de embarques. Mas grandes volumes são esperados para fevereiro.

A colheita de soja da safra 2020/21 do Brasil somou cerca de 2,5 milhões de toneladas ao final de janeiro, no ritmo mais lento desde a temporada 2010/11, apontou anteriormente consultoria AgRural.

Com o desenvolvimento da colheita, o economista-chefe da Abiove estima que o país embarcará cerca de 6,6 milhões de toneladas em fevereiro, frente a apenas aproximadamente 50 mil toneladas no mês anterior, o pior janeiro em vários anos, conforme dados do governo.

Segundo Amaral, o Brasil já embarcou cerca de 900 mil toneladas de soja no acumulado de fevereiro.

SAFRA MANTIDA

A Abiove, que reúne as principais tradings e processadoras multinacionais, ainda manteve a previsão de safra do Brasil em 2021 em recorde de 132,6 milhões de toneladas, o que seria um aumento de 3,2% na comparação anual.

Com uma forte demanda da indústria de carnes por ração, a Abiove ainda manteve a estimativa de esmagamento em recorde de 46,3 milhões de toneladas, versus 45,5 milhões de toneladas no ano passado.

Se manteve a projeção para este ano, a associação revisou para cima a estimativa da safra colhida em 2020, o que colaborou para aumentar os estoques iniciais e finais de 2021 do país --ainda volumes historicamente baixos.

Agora a Abiove estima a safra de soja do Brasil em 2020 em 128,5 milhões de toneladas, alta de 500 mil toneladas ante previsão anterior.

"Muito provavelmente a produtividade de 2020 foi maior que a estimada", afirmou Amaral.

Com a revisão da safra 2020, a Abiove elevou previsão de estoques iniciais do Brasil em 2021 para 328 mil t e aumentou estimativa de estoques finais deste ano para 528 mil toneladas.

Em receitas, os embarques brasileiros de soja, principal produto de exportação do Brasil, deverão saltar com maiores preços na comparação com 2020, reafirmou a Abiove.

Dessa forma, a associação manteve a projeção de receita com exportações do complexo soja (grão, farelo e óleo) do Brasil este ano em recorde de 44,7 bilhões de dólares, ante 35,2 bilhões em 2020.