Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,23 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,34 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +0,19 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    50.055,79
    +1.388,94 (+2,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,20 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    -11,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7806
    -0,0053 (-0,08%)
     

Abel Ferreira reclama com razão de um calendário que o seu próprio clube apoia

Alexandre Praetzel
·1 minuto de leitura
Abel Ferreira critica com razão o calendário do futebol brasileiro. Foto: Jorge Rodrigues/AGIF
Abel Ferreira critica com razão o calendário do futebol brasileiro. Foto: Jorge Rodrigues/AGIF

Abel Ferreira soltou o verbo contra o calendário do futebol brasileiro. O português tem mostrado indignação desde a volta do Catar, onde o Palmeiras disputou o Mundial de Clubes. O time precisa cumprir os jogos da Série A do Brasileiro e terá disputado cinco partidas em 11 dias, até o primeiro confronto da decisão da Copa do Brasil, dia 28 de fevereiro.

Abel está coberto de razão nas suas reclamações e reivindicações, mas não terá lastro para seguir em frente com seus argumentos. Há muitos anos que o calendário é horrível e não mudará a longo prazo. A CBF não está preocupada e não mexe nos estaduais para não perder o apoio dos presidentes de federações, decisivos nas eleições da entidade. As equipes continuarão desfalcadas de seus principais nomes nas datas Fifa e os presidentes ficarão em silêncio.

Leia também:

Enquanto não houver uma Liga Nacional, com várias divisões e independente do poder da CBF, esqueçam o resto. Os clubes devem para federações e CBF, num modelo falido de gestão. Nunca haverá unanimidade para romper essa corrente.

Então Abel Ferreira, saiba que os dirigentes te escutam, mas não dão a mínima para tua opinião. Os vencedores no Brasil são punidos com maratonas de jogos, ao invés de preservados por suas conquistas de títulos. Você está certo, mas o próprio Palmeiras não concorda contigo, assim como quem manda nos outros clubes. Essa luta já perdeste de goleada. É a triste realidade.