Mercado abrirá em 9 h 51 min
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,04
    -0,04 (-0,05%)
     
  • OURO

    1.775,80
    -7,60 (-0,43%)
     
  • BTC-USD

    32.610,74
    -1.241,51 (-3,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    782,91
    -27,28 (-3,37%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.074,06
    -15,95 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.850,57
    +33,50 (+0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.920,12
    +45,23 (+0,16%)
     
  • NASDAQ

    14.298,25
    +35,25 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9265
    -0,0020 (-0,03%)
     

Abegás vê MP da Eletrobras como passo para integração entre setores elétrico e de gás

·1 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A aprovação da medida provisória de privatização da Eletrobras pela Câmara representou importante passo para a integração entre os setores elétrico e de gás, ao prever no texto a abertura para contratação de capacidade de geração térmica a gás, afirmaram distribuidoras do insumo em nota nesta quinta-feira.

A MP, aprovada pelos deputados da Câmara na véspera e que seguirá ainda para tramitação no Senado, determina que o governo terá de contratar térmicas a gás por 15 anos, a partir de 2026.

A contratação de novas térmicas a gás pelo país como forma de aumentar a segurança energética é uma demanda da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) desde a tramitação no Congresso da nova Lei do Gás, sancionada neste ano.

No comunicado, a Abegás ressaltou que, ao demarcar o ano-base para a contratação, o texto cria segurança jurídica para investimentos em novos projetos, o que permitiria um aumento da oferta de gás, principalmente do pré-sal.

"A medida representa um importante passo na direção de uma plena e indispensável integração entre o setor elétrico e o setor de gás natural", disse a associação.

"O período de cinco anos é o ideal para que os projetos do setor tenham o devido tempo de maturação, com um cenário de 15 anos que preserve a viabilidade econômica do investimento."

Governo e Petrobras vêm trabalhando nos últimos anos em diversas frentes que visam estimular novos investimentos no setor de gás natural, permitindo maior demanda para a crescente produção em campos marítimos de águas profundas e ultraprofundas do país.

A Abegás frisou ainda em nota esperar que tais avanços apontados "possam ser mantidos nas próximas etapas da tramitação" da MP.

(Por Marta Nogueira)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos